segunda-feira, 15 de julho de 2013

Indulgência pela JMJ Rio2013

O que é exatamente “indulgência”? Indulgência consiste na remissão concedida pela autoridade eclesiástica (e válida diante de Deus) da pena temporal, devido ao pecado já perdoado. A indulgência é dada pela autoridade da Igreja, em virtude do poder de ligar e desligar dado por Jesus a Pedro e aos apóstolos. A Igreja age, ao conceder indulgências, no poder espiritual com a missão dada a ela por Cristo e na inspiração do Espírito como "dispensadora da redenção", operada pelo Crucificado. Quando nos arrependemos e confessamos, o Senhor Deus – através da Igreja – nos perdoa (cancela) a culpa (e assim a pena eterna). Todavia, todo pecado acarreta uma série de efeitos negativos (para si e para outros) que precisam ser reparados (penas temporais). Para isto existem: nesta vida – a oração, a penitência e a esmola (Mt 6,1-18), uma conversão ardorosa, o martírio e também as indulgências. Na noutra vida existe o purgatório. É, pois, uma graça divina!
Nesse sentido, em vista deste tempo forte de peregrinação em que vive a nossa Arquidiocese, o Penitenticário-mor, Sua Eminência Manuel, Cardeal Monteiro de Castro, através do Prot. N. 478/13/I, de 2 de Julho de 2013, transmitiu ao Eminentíssimo Senhor Cardeal Stanislaw Rylko, Presidente do Pontifício Conselho para os Leigos, a cópia do Decreto de Indulgências concedidas pelo Santo Padre Francisco, preparada pela Penitenciaria Apostólica em língua latina e italiana, na qual vêm concedidas especiais Indulgências por ocasião da Jornada Mundial da Juventude na nossa cidade do Rio de Janeiro, de 22 a 29 do corrente mês de Julho, durante o corrente Ano da Fé. 
O Santo Padre Francisco, desejando que os jovens, em união com os fins espirituais do Ano da Fé, convocado pelo Papa Emérito Bento XVI, possam obter os frutos esperados de santificação da “XXVIII Jornada Mundial da Juventude, que se celebrará de 22 a 29 do próximo mês de Julho, no Rio de Janeiro, e que terá por tema: “Ide e fazei discípulos por todas as nações (cfr Mt 28, 19)”, estabeleceu que todos os jovens e todos os fiéis devidamente preparados pudessem usufruir do dom das Indulgências como determinado:
Indulgência Plenária para os fiéis presentes na Jornada: concede-se a Indulgência plenária, obtenível uma vez por dia mediante as seguintes condições: confissão sacramental, comunhão eucarística e oração segundo as intenções do Sumo Pontífice, e ainda aplicável a modo de sufrágio pelas almas dos fiéis defuntos, pelos fiéis verdadeiramente arrependidos e contritos, que devotamente participem dos ritos sagrados e exercícios de piedade que terão lugar no Rio de Janeiro.
Indulgência Plenária para os fiéis legitimamente impedidos de participar da Jornada, mas que a acompanhem pelo Rádio ou pela Televisão: há uma concessão importante de indulgências para todos os fiéis legitimamente impedidos, que poderão obter a Indulgência Plenária desde que, cumprindo as comuns condições espirituais, sacramentais e de oração com o propósito de filial submissão ao Romano Pontífice, participem espiritualmente das sagradas funções nos dias determinados; desde que sigam estes ritos e exercícios piedosos enquanto se desenrolam, através da televisão e da rádio, ou sempre que com a devida devoção, através dos novos meios de comunicação social.
Indulgência Parcial para todos: concede-se a Indulgência Parcial aos fiéis, onde quer que se encontrem durante o mencionado encontro, sempre que, pelo menos com alma contrita, elevem fervorosamente orações a Deus, concluindo com a oração oficial da Jornada Mundial da Juventude, e devotas invocações à Santa Virgem Maria, Rainha do Brasil, sob o título de “Nossa Senhora da Conceição Aparecida”, bem como aos outros Patronos e Intercessores do mesmo encontro, de modo a que estimulem os jovens a se fortalecerem na fé e a caminharem na santidade.
Como professamos no Credo: “Creio na comunhão dos santos”, existe um admirável laço entre Cristo e todos os filhos de Deus, à semelhança da unidade que se dá entre a “videira” e os “ramos” (Jo 15,1ss; cf. 1Cor 12,27; 1,9; 10,17; Ef 1,20-23; 4,4). Podemos, pois, também oferecer as indulgências na intenção daqueles que já partiram desse mundo (cf. Código de Direito Canônico, cân. 994). O Senhor realizará aquilo que for de acordo com sua vontade e bondade.
Como o fiel pode obter a indulgência? Fazendo aquilo que a Igreja indica. Primeiramente no campo da ação exterior: Confissão sacramental, Comunhão Eucarística, oração pelo Papa Francisco – ao menos 1 Pai Nosso e 1 Ave Maria – e a obra prescrita. Em segundo lugar, e com o mesmo espírito que a anima: de disposição interior: aversão ao pecado, não estar excomungado, desejo de obter a graça. Existem inúmeras obras de piedade, algumas orações como o Creio, Salve Rainha etc., a visita ao SSmo. Sacramento, às basílicas romanas, ao cemitério, a bênção Papal, ensinar a doutrina cristã e ouvir pregações, participar de congresso eucarístico, sínodo, do ensino das Constituições do Concílio Vaticano II e, em nosso caso, neste tempo favorável, participar da JMJ-Rio2013, enriquecidas pela Igreja com especiais indulgências. 
Para que estas maravilhas espirituais sejam operadas é necessário que todos os sacerdotes de nossa Arquidiocese estejam dispostos, com horários pré-marcados ou nos locais de catequeses e confissões durante os dias 22 a 29 deste mês, para o atendimento das confissões auriculares, em conformidade com o que determina o Decreto das Indulgências: "Para que os fiéis possam mais facilmente participar destes dons celestes, os sacerdotes, legitimamente aprovados para ouvir confissões sacramentais, com ânimo pronto e generoso se prestem a acolhê-las e proponham aos fiéis orações públicas pelo bom êxito desta “Jornada Mundial da Juventude”.
Lembramos que os fiéis poderão lucrar as indulgências, plenárias e parciais, em conformidade com o Decreto, que tem validade somente para o período de celebração da JMJ-Rio2013. É um dom a mais para os participantes desses momentos de oração, adoração, celebração, piedade.
Que todos os fiéis vivam intensamente a JMJ-Rio2013 e obtenham todas as graças anexas a este tempo santo. Pelas indulgências, os fiéis podem obter para si mesmos e, também para as almas do Purgatório, a remissão das penas temporais, sequelas dos pecados, para viver a virtude da santidade, abrindo seus corações para o Redentor, fiel ao lema que viveremos nestes dias: “Ide e fazei discípulos por todas as nações (cfr Mt 28, 19)”.

† Orani João Tempesta, O. Cist.
Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ

Leia, na íntegra, o texto do Decreto com o qual o Santo Padre concede indulgências à Jornada Mundial da Juventude Rio-2013:

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Nossa comunidade participou ativamente no 4º retiro das Santas Missões Populares na Diocese!

No período de 5 a 7 de julho a quadra poliesportiva da Universidade Federal do Piauí - Campus de Parnaíba sediou o 4º e último retiro das Santas Missões Populares (SMP) que contou com a presença de centenas de missionários vindos das 29 paróquias de nossa diocese.
Nossa comunidade acolheu 21 irmãos da Paróquia de N. Sra. do Perpétuo Socorro (Cocal) que aqui vieram pernoitar e tomar café com nossas famílias.
O nosso agradecimento em especial às famílias-acolhedoras de: Roseane e Roberto; Jovelina e Francisco; Carlota e Alvino; Fátima e João; Raimundo "Mestrin" e Maria; e ao nosso coordenador.
Nosso agradecimento também à Dona Maria da Soledade que foi a responsável pela recepção e atuou como "guia" dos missionários do local dos encontros até nossa comunidade.
No dia 7 de julho, à noitinha, 65 irmãos da comunidade fretaram, mais uma vez, o ônibus de Dona Do Carmo e Seu Antônio, para participarem da Missa de encerramento-envio das SMP (2009-2013) em nossa Diocese e assistirem ao show com o Pe. Reginaldo Manzotti - "FÉsta da Missão" - realizados na Avenida São Sebastião.
A Santa Missa foi presidida pelo bispo diocesano de Parnaíba, Dom Alfredo Scháffler e concelebrada pelo pregador do retiro das SMP, o sacerdote fidei donum Pe. Luís Mosconi, o padre-cantor Reginado Manzotti (que fez uma belíssima homilia!) e por quase todos padres da Diocese - faltaram apenas os párocos de Domingos Mourão e Piracuruca, por conta da abertura da festa da padroeira daquelas cidades, N. Sra. do Carmo.
Confira imagens desse grande momento de graça em nossa Diocese de Parnaíba, durante esse "Ano da Fé" (2012-2013):

Rezemos: 11 de julho é Dia de Oração pela Jornada Mundial da Juventude Rio 2013

Dom Eduardo Pinheiro, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB faz um convite a todos as pessoas, especialmente aos jovens, para um dia de oração pela JMJ Rio 2013. “Como uma grande família cristã, vamos juntos, no dia 11 de julho, realizar uma bonita corrente de oração em vista da Jornada Mundial da Juventude que acontece, coincidentemente, num contexto brasileiro de manifestação de muitos sonhos juvenis de dignidade, de felicidade, de justiça, de solidariedade, de paz, de um mundo melhor”.

Confira a mensagem:

Campo Grande, 07 de julho de 2013.

Queridos irmãos e irmãs em Cristo.

“A fé não é refúgio para gente sem coragem, mas a dilatação da vida” 
(Papa Francisco, Encíclica “Lumen Fidei”)

Com a mesma fé no amor de Deus pela juventude, que nos guiou até aqui, queremos viver este momento ímpar de nossa vida com a JMJ Rio 2013. Ao acreditar que a Jornada é obra divina e, portanto, projeto do coração de Deus para todos nós, renovamos nosso agradecimento a Ele por tão precioso presente. Esta fé fez com que muitos sonhassem a Jornada em nosso meio e se empenhassem na sua construção para o benefício de todos. E é com esta mesma fé que, agora, tão próximos deste Encontro, nos voltamos intensa e coletivamente a Deus agradecendo-lhe por aquilo que já foi construído e vivido, bem como pedindo-lhe renovadas forças, bons resultados e abundantes frutos.
“Nas Jornadas Mundiais da Juventude, os jovens mostram a alegria da fé, o compromisso de viver uma fé sólida e generosa”, afirmou-nos o papa em sua recém publicada encíclica. Assim como ele, nós também acreditamos que este é um momento forte de exaltar e viver a verdadeira fé no Senhor que nos chama, nos transforma, nos capacita e nos envia; somente Nele encontramos o sentido, o gosto e a direção da vida. É um momento especial não só para os jovens, mas para toda a Igreja e para o Brasil que a recebe.
Como uma grande família cristã, vamos juntos, no dia 11 de julho, realizar uma bonita corrente de oração em vista da Jornada Mundial da Juventude que acontece, coincidentemente, num contexto brasileiro de manifestação de muitos sonhos juvenis de dignidade, de felicidade, de justiça, de solidariedade, de paz, de um mundo melhor. Há muita coisa no ar! Há muita sede de vida! Há muito discernimento a fazer, projetos a assumir, bens a desenvolver e males a combater. A oração verdadeira nos aproxima de Deus e dos Seus filhos, nossos irmãos. Rezar, portanto, sustenta nossa relação com Aquele que nos ama por primeiro e gratuitamente, desenvolvendo em nós o precioso dom do Amor que, por mandato divino, se abre para o bem do nosso povo.
Sejamos criativos e endossemos esta iniciativa do “Dia de Oração pela Jornada Mundial da Juventude Rio 2013”. Reconhecendo as grandes maravilhas operadas por Deus neste tempo de preparação, pedimos a Ele o sucesso no desenvolvimento de tudo aquilo que já foi carinhosamente preparado, a não realização do que for contrário a sua vontade, a nossa abertura de espírito a sua comunicação de amor, os bons frutos que farão parte da nova história de todos nós. A maternal presença de Maria seja mais intensamente percebida nestes dias e nos auxilie a retornarmos para nossas casas e comunidades com renovado entusiasmo cristão, ardor vocacional, compromisso missionário.

Deus nos abençoe a todos e todas neste tempo de Graça.

Dom Eduardo Pinheiro da Silva
Bispo Auxiliar de Campo Grande (MS)
Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB

Fonte: CNBB.

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Apresentada a primeira Encíclica do Papa Francisco

Lumen Fidei - A luz da fé, assim se intitula a primeira Encíclica do Papa Francisco que hoje foi apresentada em conferência de imprensa, no Vaticano. Dirigida aos bispos, sacerdotes, diáconos, religiosos e religiosas e a todos os fiéis leigos, a Encíclica – explica o Papa Francisco - já estava "quase completada" por Bento XVI. Àquela "primeira versão" o atual Pontífice acrescentou "ulteriores contribuições". A finalidade do documento é recuperar o caráter de luz que é específico da fé, capaz de iluminar toda a existência humana. Quem acredita nunca está sozinho, porque a fé é um bem comum que ajuda a edificar as nossas sociedades, dando esperança. E’ este é o coração da Lumen fidei. Numa época como a nossa, a moderna - escreve o Papa - em que o acreditar se opõe ao pesquisar e a fé é vista como um salto no vazio que impede a liberdade do homem, é importante ter fé e confiar, com humildade e coragem, ao amor misericordioso de Deus, que endireita as distorções da nossa história.
Clique na imagem para ler na íntegra a
Carta Encíclica "Lumen fidei"
Testemunha fiável da fé é Jesus, através do qual Deus atual realmente na história. Como na vida de cada dia confiamos no arquiteto, o farmacêutico, o advogado, que conhecem as coisas melhor que nós, assim também para a fé confiamos em Jesus, um especialista nas coisas de Deus. A fé sem a verdade não salva, diz em seguida o Papa – fica a ser apenas um bonito conto de fadas, sobretudo hoje em que se vive uma crise de verdade, porque se acredita apenas na tecnologia ou nas verdades do indivíduo, porque se teme o fanatismo e se prefere o relativismo. Pelo contrário, a fé não é intransigente, o crente não é arrogante: a verdade que vem do amor de Deus não se impõe pela violência, não esmaga o indivíduo e torna possível o diálogo entre fé e razão.
Se torna, portanto, essencial a evangelização: a luz de Jesus brilha no rosto dos cristãos e se transmite de geração em geração, através das testemunhas da fé. Mas de uma maneira especial, a fé se transmite através dos Sacramentos, como o Batismo e a Eucaristia, e através da confissão de fé do Credo e a Oração do Pai Nosso, que envolvem o crente nas verdades que confessa e o fazem ver com os olhos de Cristo. A fé é uma, sublinha o Papa, e a unidade da fé é a unidade da Igreja. Também é forte a ligação entre acreditar e construir o bem comum: a fé torna fortes os laços entre os homens e se coloca ao serviço da justiça, do direito e da paz. Essa não nos afasta do mundo, muito pelo contrário: se a tirarmos das nossas cidades, ficamos unidos apenas por medo ou por interesse. A fé, pelo contrário, ilumina a família fundada no matrimônio entre um homem e uma mulher; ilumina o mundo dos jovens que desejam “uma vida grande", dá luz à natureza e nos ajuda a respeitá-la, para "encontrar modelos de desenvolvimento que não se baseiam apenas na "utilidade ou lucro, mas que consideram a criação como um dom”. Mesmo o sofrimento e a morte recebem um sentido do fato de confiarmos em Deus, escreve ainda o Pontífice: ao homem que sofre o Senhor não dá um raciocínio que explica tudo, mas a sua presença que o acompanha. Finalmente, o Papa lança um apelo: "Não deixemos que nos roubem a esperança, não deixemos que ela seja frustrada com soluções e propostas imediatas que nos bloqueiam o caminho para Deus”.

Fonte: CNBB.

Papa Francisco autoriza canonização de João Paulo II e João XXIII

O Papa Francisco autorizou nesta sexta-feira, 5, a promulgação dos Decretos de Canonização do Beato papa João Paulo II e do Beato papa João XXIII. O ato que autoriza a canonização dos dois novos santos foi realizado na audiência privada desta manhã com o Prefeito da Congregação para a Causa dos Santos, Cardeal Angelo Amato.
Além de aprovar o segundo milagre atribuído à intercessão de João Paulo II (Karol Józef Wojtyła), o Papa Francisco decidiu convocar um Consistório para falar a respeito da canonização. Wojtyla nasceu em Wadowice, na Polônia, em 18 de maio de 1920 e morreu, como Sumo Pontífice, em Roma, no dia 2 de abril de 2005.
O Papa também aprovou os votos favoráveis da Sessão Ordinária dos Padres Cardeais e Bispos sobre a canonização do Beato João XXIII (Angelo Giuseppe Roncalli) morto em 3 de junho de 1963.
As datas das cerimônias de canonização não foram divulgadas.
O pontífice autorizou o organismo vaticano a promulgar os decretos relativos também a: 
- o milagre atribuído à intercessão do Venerável Servo de Deus Alvaro del Portillo y Diez de Sollano, Bispo Prelado do Opus Dei, nascido em Madri, em 11 de março de 1914, e morto em 23 de março de 1994, em Roma; 
- o milagre atribuído à intercessão da Venerável Serva de Deus Esperança de Jesus (Maria Giuseppa Alhama Valera), fundadora das Congregações das Servas do Amor Misericordioso e dos Filhos do Amor Misericordioso, nascida em Santomera, na Espanha, em 29 de setembro de 1893 e morta em Collevalenza, na Itália, em 8 de fevereiro de 1983; 
- o martírio do Servo de Deus Giuseppe Guardiet y Pujol, sacerdote diocesano, nascido em Manlleu, Espanha, em 21 de maio de 1879 e morto por ódio à fé, na Espanha, em 3 de agosto de 1936; 
- o martírio dos Servos de Deus Maurizio Íñiguez de Heredia e 23 Companheiros da Ordem São João de Deus, mortos por ódio à fé, na Espanha, em 1936 e 1937. 
- o martírio dos Servos de Deus Fortunato Velasco Tobar e 13 Companheiros da Congregação da Missão, mortos por ódio à fé na Espanha de 1934 a 1936; 
- o martírio das Servas de Deus Maria Assunta (Giuliana González Trujillano) e 2 companheiras, religiosas professas da Congregação das Irmãs Franciscanas Missionárias da Mãe do Divino Pastor; mortas por ódio à fé na Espanha em 1936; 
- as virtudes heróicas do Servo de Deus Nicola D'Onofrio, clérigo professo da Ordem dos Clérigos Regulares de Ministros dos Enfermos (Camilianos), nascido em Villamagna, na Itália, em 24 de março de 1943 e morto no dia 12 junho de 1964, em Roma; 
- as virtudes heróicas do Servo de Deus Bernardo Filippo (Giovanni Fromental Cayroche), irmão professo do Instituto das Escolas Cristãs, Fundador das Hermanas Guadalupanas de La Salle, nascido em Chauvets-Servières, na França, em 27 de junho de 1895 e morto em Cidade do México (México), em 5 de dezembro de 1978; 
- as virtudes heróicas da Serva de Deus Maria Isabel da Santíssima Trindade (Maria Isabel Picão Caldeira viúva Carneiro), Fundadora da Congregação das Irmãs Concepcionistas, nascida em Monte do Torrão (Portugal) em 1° de fevereiro de 1889 e morta em Lisboa (Portugal), em 3 de julho de 1962; 
- as virtudes heróicas da Serva de Deus Maria Carmen Rendiles Martínez, Fundadora das Servas de Jesus, conhecidas como Siervas de Jesús de Venezuela, nascida em Caracas, Venezuela, em 11 de agosto de 1903 e morta em 9 de maio de 1977; 
- as virtudes heróicas do Servo de Deus Giuseppe Lazzati, leigo consagrado, nascido em Milão, na Itália, em 22 de junho de 1909 e morto em 18 de maio de 1986.

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Show do Pe. Reginaldo Manzotti em Parnaíba. Participe!

No próximo domingo, 7 de julho, em frente ao MShows, na Av. São Sebastião, a partir das 18h acontecerá  a "FÉsta da Missão".
Na oportunidade nosso bispo diocesano, Dom Alfredo Scháffler concelebrará a Santa Missa com todos os padres da Diocese. A festa, acontece no contexto do Ano da Fé (2012-2013) e do Projeto Nacional de Evangelização: O Brasil na Missão Continental (2009-2013).
Antes da festa, porém, missionários de várias localidades e paróquias da Diocese participarão nos dias 5 (noite), 6 (dia e noite) e 7 (dia) de julho do 4º e último Retiro das Santas Missões Populares, segundo a proposta do Pe. Luís Mosconi.
Nossa comunidade hospedará 21 fiéis da Paróquia N. Sra. do Perpétuo Socorro, de Cocal-PI. Ao todo nossa paróquia acolherá 50 missionários da citada paróquia!
Rezemos pelos frutos das Santas Missões em nossa Diocese!
Se desejares ir conosco ao show "Paz e Luz" do Pe. Reginado Manzotti, sairá de frente à nossa capela, um ônibus às 17h30min. O valor da passagem (ida e volta) é R$ 2,00. Participe você e sua família!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...