segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Fiéis participam da última missa na comunidade e realizam confraternização natalina 2015

Na noite de ontem, 27, Oitava do Natal do Senhor, nossa capela ficou repleta de fiéis que vieram acompanhados de seus familiares a fim de renderem graças a Deus pelo grande dom para nós, que é a família!
Essa Santa Missa na Festa da Sagrada Família de Nazaré, Jesus, Maria e José foi presidida por nosso vigário, Pe. João Maria. Durante sua homilia, o vigário exortou os fiéis a lerem diariamente as passagens bíblicas proclamadas na Liturgia da Palavra do dia (Eclo 3,3-7.14-17a; Cl 3,12-21) a fim de termos famílias santas como a de Jesus.
Foi mais um belo testemunho de fé que nossa comunidade católica deu à nossa sociedade!
Ao final da Missa, grande parte dos fiéis se dirigiram à residência do Sr. Severiano aonde se realizou nossa confraternização natalina. Nossa gratidão aos que participaram e colaboraram com o jantar! Foi um belo testemunho de fé, em que se pôde perceber que "Tudo que se partilha, se multiplica", como diz o papa Francisco.
Durante a confraternização tivemos uma apresentação do grupo de jovens de nossa comunidade, a mesma dança com a qual alcançaram o 2º Lugar no IV Festival de Dança Natalina (Cf.  Relembre AQUI).
Nossos Guerreiros de Cristo, após a sua bela reapresentação,
na casa do Seu Severiano
Confira algumas imagens da Santa Missa e de nossa Confraternização:
  • Caso não veja as imagens acima, confira AQUI.
Além, da dança dos "Guerreiros de Cristo", os participantes da confraternização, contaram também com um show ao vivo da Banda Hyerarkya, grupo formado por jovens de nossa cidade e que tocam estilo pop-rock. Nesta banda, atua também nosso irmão de comunidade, Welison Fontinele! Parabéns  e vida longa ao grupo!!
Componentes da banda: Welison, Hércules, Marcos e Mateus
Confira algumas músicas tocadas pela Banda Hyerarkya:



Terminando nosso momento de confraternização, tivemos outro show, agora com a banda "Peleja, mas não sai", composta pela dupla Alvino e Severiano.
Banda: "Peleja, mas não sai"
Confiram parte do show da dupla:
Feliz Natal a todos!!
Um Abençoado 2016!!!

domingo, 27 de dezembro de 2015

Diocese de Parnaíba agora tem diáconos permanentes

A Diocese de Parnaíba ordenou, pela primeira vez em seus 70 anos de história, diáconos permanentes, grau de ordem reformulado e renovado a partir do Concílio Vaticano II. 
Foram 11 homens casados, que após 6 anos de preparação, receberam a ordenação diaconal das mãos do bispo diocesano, Dom Alfredo Schaffler. Durante os seus estudos foram admitidos, receberam o rito de leitor e acólito, e agora poderão ajudar na obra de Deus, desempenhando funções importantes. Assim poderão batizar, abençoar matrimônios, levar o viático aos doentes, presidir funerais, mas não fazem as funções de padres, como confessar e presidir missas.
Os primeiros diáconos da Diocese de Parnaíba
Rito da Ordenação
Rito da Ordenação
Os diáconos e suas esposas
A bela celebração aconteceu na noite deste sábado, 26 de dezembro, na Igreja Catedral de N. Sra. Mãe da Divina Graça, e contou com a presença de muitos padres do clero diocesano, também com representações das mais diversas paróquias. Em sua homilia, Dom Alfredo destacou a importância de todos estarem sempre trabalhando em prol da Igreja, caminhando unidos e em harmonia, citando uma frase de São João Paulo II: ''Mais vale se caminhar 1 milímetro juntos do que 1 metro sozinho''.
Ao final, os novos diáconos permanentes receberam os cumprimentos de familiares, amigos e de representantes de suas paróquias.
Confira os nomes dos diáconos e suas respectivas paróquias
  • Francisco Aguiar - Paróquia Nossa Senhora da Graça - Parnaíba;
  • Raimundo Nonato Nascimento - Paróquia Nossa Senhora de Fátima - Parnaíba;
  • Ed Ary - Paróquia Sagrado Coração de Jesus - cooperará na Paróquia Santa Ana - Parnaíba;
  • Francisco de Assis Pereira da Silva - Paróquia Sagrado Coração de Jesus - Parnaíba
  • Jurandir de Souza Silva - Paróquia São Sebastião - Parnaíba
  • Antônio de Pádua Silva Pinto - Paróquia Nossa Senhora da Conceição - Ilha Grande do Piauí;
  • Vicente José - Paróquia Nossa Senhora da Assunção - Camurupim (Luís Correia);
  • Jackson Elias da Silva - Paróquia Nossa Senhora da Conceição - Luís Correia
  • José Francisco Ferreira Viana - Paróquia Nossa Senhora dos Remédios - Piripiri
  • Apolinário Cunha - Paróquia Nossa Senhora dos Remédios - Piripiri
  • Pedro Rodrigues de Sousa - Paróquia Nossa Senhora dos Remédios - Piripiri
Fonte: Diocese de Parnaíba. (Com Adaptações)

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Comunidade encerra Novena de Natal e distribui cestas da Campanha Natal Sem Fome 2015

Na noite de hoje, fiéis da comunidade se reuniram para celebrar o último dia da Novena de Natal em Família 2015 iniciada no último dia 8, na casa de dona Soledade (Cf. AQUI). A celebração de encerramento das novenas iniciou com uma pequena procissão saindo da residência de Núbia e família, na Rua A do Conj. Broder Ville até a capela da comunidade.
Na capela, conforme a proposta do subsidio de leituras e preces que utilizamos neste ano (Scala Editora), realizamos o TERÇO DA FAMÍLIA, quando na ocasião contemplamos os mistérios gozosos do Santo Rosário.
Ao final do Terço, como, combinamos, grande pate dos participantes das novenas e das famílias que recepcionaram os encontros, levaram como gesto concreto desta Novena, alguns itens para enxoval (fraldas descartáveis, cueiros, roupinhas, talco, xampu), que brevemente iremos entregar a gestantes ou a puérperas de nossa comunidade!
Confira imagens de nossa última celebração de Natal em Família:
  • Caso não veja as imagens acima, clique AQUI.
Após a celebração de encerramento da Novena de Natal em Família, a coordenação da comunidade e representantes do grupo de jovens, fizeram a distribuição da campanha diocesana Campanha Natal Sem Fome 2015.
Infelizmente, a crise financeira afetou a muitos e este ano recebemos apenas 15 cestas para doações! Em 2014, recebemos o dobro! Mas, assim mesmo, nossa gratidão aqueles que ajudaram a fazer algumas famílias mais felizes neste Natal!
Segundo a paróquia organizadora da campanha neste ano, a Paróquia S. Sebastião, a mesma foi encerrada com êxito e se arrecadou um pouco mais que a meta de 25 toneladas de alimentos (25.630,740 kg). Com esta campanha se beneficiou à 2534 famílias (OBS.: Dados divulgados em 27/12/2015)
Que em 2016, possamos abrir mais as mãos em favor dos mais necessitados, "porque Deus ama ao que dá com alegria" (2 Cor 9,7) e como diz o nosso Papa Francisco: "Tudo o que se partilha, multiplica-se!"

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

"Guerreiros de Cristo" conquistam o 2º lugar no IV Festival de Dança Natalina

O grupo de jovens Guerreiros de Cristo da comunidade, participando mais uma vez do Festival de Dança Natalina organizado pelo grupo Shekinah (Paróquia São Sebastião), saíram mais uma vez vitoriosos! Dessa vez, eles conquistaram o 2º lugar. Ano passado, eles alcançaram a 1ª colocação, relembre, AQUI. Neste ano, foram "vitoriosos": em 1º lugar: Mandacaru (Ilha Grande do PI); em 2º lugar: Guerreiros de Cristo e em 3º lugar: Dunamai Dance.



Os Guerreiros segurando o troféu de 2º colocado!
Parabenizamos a todos e esperamos que continuem dando seus testemunhos de fé na comunidade e no mundo! Que mais jovens se engajem na Igreja a partir da missão evangelizadora de vocês!! Parabéns, Guerreiros!!
Vejam como foi a apresentação deles nos vídeos:

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Diocese de Parnaíba abre a Porta Santa da Misericórdia

Porta Santa da Catedral de Parnaíba - localizada na lateral da igreja,
no lado que dá ao Salão Paroquial Mons. Mário José de Menezes
Conforme as recomendações do Santo Padre Francisco na sua bula “Misericordiae Vultus” para o Ano Santo Extraordinário da Misericórdia, no dia 15 de dezembro o bispo diocesano de Parnaíba, dom Alfredo Scháffler, com seu presbitério realizaram uma digna celebração na Igreja Catedral de Nossa Senhora Mãe da Divina Graça quando também se fez a abertura da Porta Santa da Misericórdia. De todas as paróquias vieram representações com os padres para participar nesta solene celebração.
Esta Porta Santa tal como as quatro Portas Santas das arquibasílicas de Roma está enriquecida dos dons das indulgências. (Para saber o que são as indulgências, acesse AQUI).
Confira a homilia do Bispo de Parnaíba na ocasião da abertura da Porta Santa. A homilia também se baseia num artigo do arcebispo de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo.

A primeira leitura fala da cidade rebelde, desonrada e desumana, que não prestou ouvidos aos apelos de Deus e não aceitou correção, preferindo continuar no caminho errado. [Sofonias 3,1-2.9-13]
Quantas vezes Deus tem dado oportunidade de mudarmos de vida, de agirmos diferente, conforme sua vontade, mas não damos ouvido e preferimos continuar ignorando os apelos dele.
O tempo do Advento continuar um tempo de apelo a mudança.
O que Deus quer de nós?
No dizer do profeta que sejamos pessoas de lábios purificados que presemos culto ao Deus verdadeiro.
Devemos colocar sempre nossa confiança em Deus, pois só assim não cometeremos iniquidades, não falaremos tantas mentiras nem enganaremos mais o próximo.
A conversão é o elemento central do evangelho de hoje.
O primeiro, quando lhe foi pedido para fazer algo, prontamente disse, não, mas depois se arrependeu e foi. Já o segundo disse que sim, mas depois não foi.
O primeiro representa aqueles que embora pecadores, tomam consciência dos seus erros e buscam os caminhos de Deus, cuja misericórdia está sem fim.
Ao abrir a Porta Santa na Basílica de São Pedro, na última terça-feira, o Papa Francisco convoca todos a cultivar e a vivenciar a misericórdia.
O gesto marca o início do Jubileu Extraordinário da Misericórdia que, hoje iniciamos na nossa Diocese e no próximo domingo em todas as paróquias.
Acolher a convocação do Papa exige disposição para matricular-se na escola de Cristo Jesus, aquele que vem ao encontro da humanidade e revela o rosto misericordioso de Deus Pai.
Em Cristo, só n’Ele e por Ele, se aprende a lição da misericórdia.
Esse aprendizado cria impulsos que transformam.
Contemplando o mistério do amor de Deus revelado na paixão, morte e ressurreição de Cristo é que se compreende o significado da misericórdia.
Jesus revela o rosto misericordioso de Deus Pai, que envia seu Filho Amado como oferta para a redenção da humanidade.
A misericórdia se torna visível, viva e atinge seu ápice com Ele, o Salvador do mundo. O próprio Jesus Cristo nos fala:: “Sede misericordiosos, como o vosso Pai é misericordioso” (Lc 6, 36).
Cultivar a misericórdia é assumir a convicção de que a humanidade precisa, urgentemente, de grande renovação espiritual.
Diante do mundo que está aí, isso não é fácil, o mundo de hoje fala uma linguagem diferente.
O mundo está cada vez mais submetido ao consumismo, às dinâmicas do lucro sem limites, às leis de um “bem-estar” egoísta e efêmero, raízes dos muitos problemas que ameaçam a vida.
Será que não existe uma grave crise espiritual que causa o envenenamento e a morte de tudo o que é indispensável para o equilíbrio das relações humanitárias, sociais e políticas.
Por isso, é urgente derrubar as muralhas que separam cada vez mais as pessoas uns dos outros. Eles  adoecem as instituições, inclusive as religiosas .
A misericórdia nos levar a construir pontes que aproximam as pessoas.
Compreende-se, assim, que a misericórdia, aprendida e vivida, é um remédio que possa rejuvenescer nossa humanidade tantas vezes  cansada.
Permite estabelecer novos ordenamentos sociais que priorizem, respeitem e promovam a dignidade humana.
O Papa Francisco convoca nos como  Igreja Católica, convoca todos os homens e mulheres de boa vontade, cada cidadão, a presidir a própria conduta a partir da lei fundamental que mora no coração de cada pessoa: a misericórdia, muitas vezes soterrada em escombros de orgulhos, mesquinhez e ganâncias.
Isso é possível quando se procura enxergar, com olhos sinceros, cada irmão.
Isso possa ser uma lição capaz de promover transformações de grande alcance.
Cabe o exercício simples e exigente de agir com misericórdia para tornar, cada um, sinal eficaz da presença misericordiosa de Deus Pai, revelada em Jesus Cristo, com seus gestos, palavras e a sua oferta.
Cultivar a misericórdia é caminho para encontrar o tempo novo.
Permite à humanidade superar a gravíssima crise espiritual e, assim, compreender que a solução de problemas não vem simplesmente das estatísticas, números, aumento sem limites da produção e do consumo.
 Também está longe da doentia luta pelo acúmulo egoísta de riquezas.
Será que não está na hora de aprender a lição do amor , através da prática da misericórdia, para evitar que  continuem a se multiplicar os desequilíbrios e desastres políticos, humanos e ecológicos?
 Cultivar a misericórdia requer coragem humilde de fazer mea-culpa, assumir as responsabilidades na constituição do cenário de violências, corrupção e indiferenças.
É um caminho feito de várias paradas e recomeços.
A Igreja, pelo caminho desse Ano Santo, se compromete com a celebração de um Jubileu que resulte em renovações.
Temos tantas parábolas que nos falam da misericórdia, da ovelha perdida, do pai com os dois filhos, da moeda perdida.
A misericórdia é um programa de vida desafiador como rico de alegria e paz.
O imperativo de Jesus dirigido a tantos ouvem a sua voz.
Isso significa corajosas novas posturas de abertura, ainda mais proximidade ao povo, audácia maior nas partilhas e nos compromissos com a justiça.
As portas das nossas Igrejas estejam abertas, senão se tornem um museu no dizer do Papa.
Os diferentes grupos e pastorais procurem descobrir formas concretas como possam viver a misericórdia que sempre nos deve levar a generosidade.
Parabenizo as paróquias que saibam ser generosas quando no dízimo destinam pelo menos 10% a ação social e caritativa.
Triste quando se pede o dízimo e fica com a parte que é das pessoas necessitadas para gastar com enfeites desnecessários.
Vamos colocar bem este tema da misericórdia nos nossos festejos como tema principal, mas não somente com palavras.
É o desejo explícito do Papa de refletir e praticar as obras de misericórdia corporais e espirituais.
Colocar as obras de misericórdia corporais e espirituais em prática em cada paroquia.
Dar de comer que tem fome, dar de beber que tem sede, acolher, vestir as pessoas que estão sem roupa, visitar os doentes e os que vivem esquecidos, os prisioneiros, velar e sepultar os mortos,
As obras de misericórdia espiritual é aconselhar, consolar, confortar os aflitos, suportar com paciência, colocar o ouvido no coração dos que sofrem.
São Paulo nos fala: “Quem se dedica as obras de misericórdia, faça-o com alegria.” Rm 12,8
“Felizes os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia “ esta bem aventurança que deve inspirar-nos como particular empenho neste Ano Santo.
Vamos colocar em todas as paróquias uma porta especial – como porta da misericórdia. Para lembrar e praticar as obras da misericórdia.
Eis agora a oportunidade para viver, com entusiasmo, a convocação feita pelo Papa Francisco: CULTIVAR A MISERICÓRDIA.

Fonte: Diocese de Parnaíba.

CARTA PASTORAL DE DOM ALFREDO SCHÁFFLER PARA O ANO SANTO EXTRAORDINÁRIO DA MISERICÓRDIA

Dom Alfredo Scháffler,
Por mercê de Deus e da Santa Sé Apostólica,
Bispo de Parnaíba

Saúdo todas as pessoas unidos na fé e na boa vontade, os padres e religiosos(as), os nossos catequistas

Junto com toda Igreja iremos iniciar o ANO SANTO EXTRAORDINÁRIO DA MISERICÓRDIA. Foi o nosso querido Papa Francisco que convocou este Ano da Misericórdia que vai iniciar com a festa de Nossa Senhora da Conceição Imaculada deste ano de 2015 e se encerrará com a festa de Cristo Rei no ano de 2016.
O Santo Padre Francisco lançou a Bula “Misericordiae Vultus” que podemos traduzir como: o rosto da misericórdia do Pai é Jesus Cristo. Recomendamos vivamente a leitura atenta deste documento. Aí vamos encontrar as grandes motivações para a celebração deste Ano Santo extraordinário.
O Ano Santo, ou Jubileu, é um tempo propício para nos voltarmos a Deus de todo coração, a fim de louvá-lo e agradecê-lo com alegria pelas graças recebidas. É também um tempo favorável para acolher graças especiais de Deus, através do serviço da Igreja.
Sempre devemos lembrar que toda nossa vida e toda a história da humanidade estão sob o signo da misericórdia de Deus que se manifestou por meio de Jesus Cristo.
Um dos motivos desse Ano Santo é a celebração de 50 anos do encerramento do Concílio Vaticano II que proporcionou uma nova primavera à nossa Igreja. O então Papa, São João XXIII na abertura falou “que era chegado o tempo em que a Igreja devia usar, mais que o bastão da severidade, o remédio da misericórdia, para chegar a todas as pessoas e levar a todos a Boa Nova da salvação. Porque o Evangelho é sempre o anúncio da misericórdia de Deus para os homens de todos os tempos”.
O Papa Francisco nos quer lembrar que todos somos filhos da misericórdia de Deus e, sem ela, não seriamos ninguém, como se não existíssemos. Por que Deus é AMOR. O agir de Deus para conosco é, acima de tudo, orientado pelo seu amor misericordioso de Pai, e pela ternura e compaixão. Deus ama a todos, mas volta-se preferencialmente para os pequenos e humildes, para os que sofrem, para os contritos de coração e para os que buscam seguir seus mandamentos.
Jesus Cristo foi atrás das pessoas doentes, pobres, sofredoras de todo tipo, pessoas discriminadas, rejeitadas e condenadas pela sociedade e até pela religião, pecadores públicos, como a pecadora arrependida, Zaqueu, o ladrão arrependido. Percebemos que Jesus testemunhou no seu agir constantemente a misericórdia de Deus. Por isso, ele afirma “Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas os doentes”. Ide, pois, e aprendei o que significa: misericórdia que quero, e não o sacrifício. Com efeito, eu não vim chamar justos, mas pecadores (Mt 9,12-13).
As parábolas da misericórdia retratam bem o coração misericordioso de Deus para com a humanidade: o filho pródigo pode confiar no perdão do seu pai e lançar-se no seu abraço (Lc 15,11-32); a ovelha perdida é preciosa ao coração do Bom Pastor da humanidade, que a procura e a resgata com toda ternura (Lc 15,1-7); a moedinha perdida e reencontrada deixa de ser motivo de festa no céu (Lc15, 8-10); o exemplo do “Bom Samaritano” da humanidade, que se inclina sobre nossas misérias e nos trata com todo o cuidado e carinho (Lc10,29-37).
A pessoa soberba, cheia de si, pensa ser melhor que as demais e que não precisa dos outros. Pensa bastar-se a si mesma e despreza as fraquezas dos imperfeitos e necessitados de ajuda. O soberbo pensa que não precisa de Deus, nem de religião, nem de perdão, nem de mão estendida. Pensa que a misericórdia é para os fracos e não para o “super homem” que se coloca no lugar de Deus. Quanta vontade de ser “super” existe hoje, sem a aceitação dos próprios limites. Quantos esforços para preencher, com mais vazio, o vazio da vida. A soberba da vida leva à frustração e pode levar à destruição, não apenas de si mesmo; mas, também, dos outros e do mundo.
Todos nós já fomos beneficiados tantas vezes pela misericórdia de Deus, que não tem limites.
A misericórdia de Deus está no centro do Evangelho, como recordou o Papa Francisco na Bula, ninguém pode viver sem ela, se quiser ser livre e ter a alegria na vida. Por isso, toda comunidade cristã precisa constantemente renovar-se na misericórdia de Deus. Assim, a pregação da Igreja não pode ser animada por nenhuma atitude soberba, esquecida de que ela também é agraciada pela misericórdia do Pai, que se manifestou no amor do Filho.
A Igreja é a “embaixadora” da misericórdia de Deus para o mundo (2Cor.5,20). A misericórdia de Deus não é algo distante e ideal, mas torna-se próxima e acessível através do ministério da Igreja, que recebeu de Jesus o poder de perdoar os pecados e de reconciliar com Deus e consigo mesmo todos os pecadores que têm um coração contrito.
Esperamos que as portas das nossas igrejas estejam abertas. Uma Igreja cujas portas permanecem fechadas, tornam-se museus, recorda-nos o Papa Francisco.
Assim, peço que durante o Ano Santo as paróquias e todas as Igrejas estejam abertas para a visitação e a oração. Marquem-se de forma visível os horários para atender as confissões dos fiéis. Que todos os tempos fortes: Advento, Quaresma e as festas dos Padroeiros das paróquias, assim como também as romarias e peregrinações sejam momentos privilegiados para oferecer ao povo de Deus este serviço.
Cada paróquia procura organizar um serviço da misericórdia como as visitas aos doentes e as pessoas impossibilitadas de se deslocarem à Igreja para que sejam visitadas e confortadas com a oração, a leitura da Palavra de Deus e também a ajuda solidária concreta, onde isso se fizer necessário.
Vamos recuperar a nobre prática recomendada pelo mestre: “Felizes os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia” (Mt 5,7). A prática da misericórdia deve ser uma das marcas da vida cristã, sem ela, não seremos reconhecidos como filhos do Pai celeste. O Papa Francisco lembra que “a credibilidade da Igreja passa pela via do amor misericordioso e compassivo”.
O Ano Santo da Misericórdia nos indica novamente que o caminho da vida cristã que passa pelo perdão e pela reconciliação, que somos chamados a ser como o Bom Samaritano e a nos encarregar dos feridos, dos caídos, dos enfraquecidos e dos irmãos, mesmo desconhecidos, que passam por mil dificuldades ou vivem em situação de risco. O cristão deve ir além da mera justiça e praticar a misericórdia. Jesus nos ensina como deve ser a atitude: não julgar, não condenar, ser generosos, sem medida, fazer o bem até a quem nos faz o mal (Rm 12, 21).
O sucessor de Pedro, o nosso querido o Papa Francisco, nos convida a refletir e praticar as obras da misericórdia corporal e espiritual: dar de comer a quem tem fome, dar de beber a quem tem sede, visitar os encarcerados, assistir os doentes, vestir quem está sem roupa, abrigar quem está sem casa, sepultar os mortos. Naturalmente, a “fantasia da caridade” nos indicará muitas outras maneiras sobre como praticar essas obras de misericórdia.
As obras de misericórdia espirituais são: consolar os aflitos, orientar os desorientados, ensinar os que ignoram, admoestar os que erram, perdoar as ofensas, suportar com paciência as injustiças, rezar a Deus pelos vivos e os falecidos. Quero lembrar, que em nenhum dia devíamos passar sem praticar algo destas obras.
O Papa convida a dar atenção especial a todos os que vivem nas mais variadas “periferias existenciais” do mundo contemporâneo. Vamos olhar ao nosso redor se não existem situações de precariedade, solidão, dor, luto e angústia. Quantas feridas para serem lavadas e enfaixadas e quanta indiferença a ser vencida.
Para uma melhor vivência, do Ano Santo da Misericórdia, propomos:
- No dia 15 de dezembro vamos celebrar solenemente a abertura da Porta Santa da Misericórdia na nossa Igreja Catedral, quando convidamos as representações das paróquias para este momento solene.
- A abertura nas paróquias aconteça no dia 20 de dezembro de 2015.
- Cada paróquia deve promover o estudo da Bula da Misericórdia e incentivar que as comunidades, grupos, pastorais, serviços e todos os organismos eclesiais conheçam, e vivam este Ano Santo;
- Todas as paróquias devem realizar a iniciativa 24 horas, seja a nível de zonais na própria paróquia;
- Que em todos os festejos seja refletido o tema da Misericórdia;
- Que o Domingo da Misericórdia seja celebrado nos zonais;
- Todas as paróquias participem da Romaria para Piracuruca no dia 23 de abril de 2016, onde haverá o Dia Santo da Misericórdia (oficinas, confissões, tendas com exposição das relíquias, celebração).
- O encerramento a nível de Diocese será no dia 05 de novembro de 2016, sábado, durante a Assembleia Diocesana de Pastoral, na Catedral.
- Toda paróquia realize o encerramento no dia 20 de novembro de 2016.

Que seja lida nas missas dominicais e registrado no livro tombo.

1º Domingo do Advento de 2015.

+ Alfredo Schaffler
Bispo de Parnaíba

Fonte: Diocese de Parnaíba (Com adaptações)

domingo, 13 de dezembro de 2015

Muitos fiéis participam da Santa Missa no "Domingo da Alegria" 2015

"Alegrai-vos sempre no Senhor; eu repito, alegrai-vos" 
(Filipenses 4, 4)

3ª Vela (a rósea) foi acesa hoje. A Igreja neste dia usa o roso como cor litúrgica
No final da tarde de hoje, 3º domingo do Advento, chamado de Domingo Gaudete ou "Domingo da Alegria", muitos fiéis da comunidade participaram da Santa Missa presidida pelo vigário paroquial, Pe. João Maria 
A Liturgia deste dia nos convida a sermos alegres nas esperança! Cristo sempre caminha conosco e nos dar a verdadeira alegria!
  • Caso não veja as imagens acima, clique AQUI
Neste 2º domingo do mês, como virou tradição neste ano, rezamos nesta celebração de modo especial por nossos dizimistas. A eles o profeta São João Batista diz no evangelho de hoje: "Quem tiver duas túnicas, dê uma a quem não tem; e quem tiver comida, faça o mesmo!"(Lucas 3, 10b)... Nossa gratidão a todos os dizimistas que ao longo deste ano partilharam seu pouco para fazermos muito pelo Reino de Deus! Que o Senhor os recompense!

sábado, 12 de dezembro de 2015

Muitos irmãos participam da última noite da Festa da padroeira da visão no bairro Santa Luzia

À exemplo do ano passado, muitos irmãos da comunidade foram à pé (e alguns em carros e motocicletas) à Capela de Santa Luzia no bairro que leva seu nome, em Parnaíba.

  • Caso não veja as imagens acima, clique aqui!
Este ano, a última novena foi presidida pelo Pe. Francisco Pinto, responsável pela Pastoral dos Enfermos na Diocese de Parnaíba. Há 21 anos, Pe. Pinto evangeliza nos hospitais e clínicas de nossa cidade. Nos ritos finais da Missa o celebrante abençoou todas as crianças com um óleo bento.
Foi mais um momento para fortalecermos nossa fé e testemunharmos nossa esperança comum!
Viva Santa Luzia!! Que ela nos ajude a vermos Deus nos irmãos!
Hoje também dia de Santa Maria invocada como Nossa Senhora de Guadalupe... Que a Virgem Santa sempre nos ampare e nos acompanhe... Ela que um dia disse a São Juan Diego: "Não estou eu aqui, que sou sua mãe?".

Catequese infantil realiza Confraternização Natalina-2015

Na tarde de hoje, dia consagrado à Mãe de Deus invocada como Nossa Senhora de Guadalupe, as crianças da Catequese se reuniram em nossa capela para participar do último encontro de formação deste ano e também se confraternizarem!
As crianças, depois de assistirem a um vídeo sobre o nascimento de Jesus (Consulte-o no YouTube), pela 1ª vez, fizeram a montagem do presépio. Foi um belo momento de oração e aprendizado!
  • Caso não veja as imagens acima, clique AQUI!
Ao final do momento celebrativo, os catequistas serviram um lanche às crianças!!
Fazemos votos de que essas "férias" não signifique "abandono da Igreja"! Que todas as crianças e famílias participem conosco das celebrações dominicais neste mês de dezembro e janeiro/2016! Em 13 de fevereiro, as crianças retornam aos encontros de formação!

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Fiéis da comunidade prestigiam novenário à Santa Luzia na Paróquia Sant'Ana

Na noite de hoje, alguns fiéis de nossa comunidade foram até à Matriz Paroquial de Santa Ana, em Parnaíba, para participar da 8ª noite do festejo em honra à sua co-padroeira, Santa Luzia, Virgem e Mártir.

Presidindo a Eucaristia um padre visitante, Pe. Geraldo (Arquidiocese de Recife e Olinda)
Havíamos sido convidados a participar na quarta-feira, entretanto o convite chocou com outra programação nossa, que era a Missa no Residencial Dom Rufino II (Cf. AQUI).
Esta foi a 3ª vez que recebemos o convite para participarmos da Festa em honra a Santa Luzia nesta paróquia! Sempre enviamos uma representação! Este foi o 1º ano em que nosso coordenador pode participar!
Nosso Coordenador, Hermerson Saulo, Dona Jovelina e Seu Francisco
entre o ícone do Ano Santo
Dona Jovelina, dona Raimundinha e Seu Francisco 
entre o ícone do Ano Santo
Que Santa Luzia, Virgem e Mártir, nos ajude a VERMOS DEUS em cada irmão e irmã e fazermos uso das OBRAS DE MISERICÓRDIA, sobretudo neste Ano Santo da Misericórdia que ora iniciamos...

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Participem de nossa Novena de Natal em Família 2015!

Começamos na terça-feira, 8, solenidade da Imaculada Conceição de Maria, a tradicional Novena de Natal em Família... 
Eis o livreto que estará nos guiando nas orações preparatórias para o Santo Natal:
Mais informações, aqui.
O 1º encontro foi na casa de dona Maria da Soledade e seu Mestrim e foi muito bom, bem participativo e contou ainda com irmãos de outras confissões religiosas! Que Deus nos conduza à unidade!

  • Caso não veja as imagens acima, clique AQUI.
Nosso 2º encontro será HOJE, quinta-feira, 10, na residência de dona Do Carmo, também na Rua A.
Vamos participar!!
Preparemo-nos bem para a chegada do Senhor!

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Ano Santo da Misericórdia: como ganhar a Indulgência jubilar?!

Durante o Ano Santo da Misericórdia é possível obter a Indulgência jubilar passando em peregrinação pela Porta Santa como sinal de profunda conversão. 
Mas o que é a indulgência?
É a remissão total diante de Deus da “pena temporal” para os pecados já perdoados na Confissão no que diz respeito à “culpa”. Isso porque todo pecado, mesmo tendo sido perdoado por Deus, deixa um resíduo (de pena) a ser purificado – aqui na terra ou depois desta vida – a fim de que o amor seja totalmente imaculado.
A esse propósito, a Rádio Vaticano ouviu o penitencieiro-mor da Penitenciaria Apostólica, Cardeal Mauro Piacenza. Eis o que disse:
Absolvidos os pecados, a desproporção entre a santidade de Deus e o seu amor e a negatividade do pecado é tão grande que permanecem resíduos: o pecado é perdoado, mas permanecem resíduos de pena. Eis então que a Indulgência – e aí está a sua preciosidade – reside no fato de poder desfrutar da misericórdia infinita de Deus que purifica tudo – se não fosse irreverente, se poderia falar de uma espécie de aspirador de pó divino – eliminando todo e qualquer resíduo. Por conseguinte, quando uma pessoa recebeu a Indulgência, após a Confissão, efetivamente é como depois do Batismo: praticamente recomeça uma nova vida. Portanto, se pode ilustrar isso e, sobretudo, possibilitar as pessoas a se colocarem nas condições de poder receber a Indulgência. É claro que existem as condições para a Indulgência, ou seja, a Comunhão e a Confissão no arco de tempo conveniente, o fato de rezar segundo as intenções do Santo Padre, o fato de rezar um Pai-Nosso e um Credo... mas isso é nada diante daquilo que nos é dado, mas deve existir porque de certo modo estrutura o modo de receber a Indulgência. Porém, o fundamental é a contrição do coração, isto é, um ato de amor perfeito diante de Deus e em favor do próximo. E isso nos faz obter a Indulgência. O Ano Santo se perfaz sobre dois pontos centrais, que são a Confissão e a Indulgência.” (RL)

Fonte: Rádio Vaticano.

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Papa Francisco abre a Porta Santa; começa o Jubileu da Misericórdia

Mais informações deste Ano Santo,
clique AQUI.
“Atravessar hoje a Porta Santa nos compromete a adotar a misericórdia do bom samaritano”: este é o espírito com o qual se deve viver o Jubileu Extraordinário, conforme disse o Papa Francisco na missa celebrada por ocasião da Festa da Imaculada Conceição (08/12), na Praça S. Pedro.
Com a cidade de Roma blindada e um forte aparato de segurança, com três mil agentes nas ruas da capital, o afluxo de peregrinos começou na madrugada nos arredores da Praça, que foi aberta às 6h30. Os controles policiais, com a passagem pelo detector de metais, tardaram o ingresso dos fiéis. Cerca de 50 mil pessoas participaram da celebração.

Pecado e graça
Na homilia que antecedeu a abertura da Porta Santa, o Pontífice recordou o mesmo gesto realizado em Bangui (Rep. Centro-Africana) e ressaltou a primazia da graça: “A festa da Imaculada Conceição exprime a grandeza do amor divino. Deus não é apenas Aquele que perdoa o pecado, mas, em Maria, chega até a evitar a culpa original, que todo o homem traz consigo ao entrar neste mundo. É o amor de Deus que evita, antecipa e salva”.
A própria história do pecado só é compreensível à luz do amor que perdoa, explicou o Papa. “Se tudo permanecesse relegado ao pecado, seríamos os mais desesperados entre as criaturas. A promessa da vitória do amor de Cristo encerra tudo na misericórdia do Pai.”
Também este Ano Santo Extraordinário é dom de graça, prosseguiu Francisco. “Entrar por aquela Porta significa descobrir a profundidade da misericórdia do Pai que a todos acolhe e vai pessoalmente ao encontro de cada um. É Ele que nos procura, que vem ao nosso encontro. Neste Ano, deveremos crescer na convicção da misericórdia.”
Para o Pontífice, é preciso antepor a misericórdia ao julgamento, se quisermos ser justos com Deus. “Ponhamos de lado qualquer forma de medo e temor, porque não corresponde a quem é amado; vivamos, antes, a alegria do encontro com a graça que tudo transforma”, exortou.

Concílio Vaticano II
Em sua homilia, o Papa fez um paralelo com outra porta “escancarada” 50 anos atrás pelos Padres conciliares. O Concílio, afirmou, foi primariamente um encontro; um encontro entre a Igreja e os homens do nosso tempo.
“Trata-se, pois, de um impulso missionário que, depois destas décadas, retomamos com a mesma força e o mesmo entusiasmo. O Jubileu exorta-nos a esta abertura e obriga-nos a não transcurar o espírito que surgiu do Vaticano II, o do Samaritano, como recordou o Beato Paulo VI na conclusão do Concílio. Atravessar hoje a Porta Santa compromete-nos a adotar a misericórdia do bom samaritano.”

Porta Santa

Após a comunhão, teve início o rito de abertura da Porta Santa, na entrada da Basílica de S. Pedro. O diácono convidou os fiéis para a inauguração do Jubileu Extraordinário da Misericórdia com estas palavras: “Abre-se diante de nós a Porta Santa. É o próprio Cristo que, através do mistério da Igreja, nos introduz no consolador mistério do amor de Deus".
Em procissão, os concelebrantes se posicionaram na entrada da Basílica. Também estava presente o Papa Bento XVI. Diante da Porta Santa, o Pontífice fez uma oração e recitou a seguinte fórmula: “Esta é a porta do Senhor. Abri-me as portas da justiça. Por tua grande misericórdia entrarei em tua casa, Senhor”.
O Santo Padre abriu a Porta Santa e se deteve em silêncio em sua entrada. Francisco entrou por primeiro na Basílica de S. Pedro, seguido por Bento XVI, pelos concelebrantes e por alguns representantes de religiosos e fiéis leigos – momento em que foi entoado o Hino do Ano Santo da Misericórdia. No Altar da Confissão, o Papa fez uma oração e concendeu a todos a sua bênção apostólica.

Os jubileus

Francisco inaugurou o 29º Jubileu da história da Igreja Católica – um Ano Santo extraordinário centrado no tema da Misericórdia que decorre até 20 de novembro de 2016.
Neste dia 8 de dezembro, foi feita a abertura da Porta Santa da Basílica de São Pedro, algo que não acontecia desde 2000.
Esta porta é aberta apenas durante o Ano Santo, permanecendo fechada no restante do tempo, e existem portas santas nas quatro basílicas papais: São Pedro, São João de Latrão, São Paulo fora de muros e Santa Maria Maior.
O anúncio solene do Ano Santo teve lugar com a leitura e publicação da bula pontifícia (Misericordiae Vultus), junto da porta de São Pedro, no Domingo da Divina Misericórdia (12 de abril).

Tradição

A Igreja Católica iniciou a tradição do Ano Santo com o Papa Bonifácio VIII, em 1300, e a partir de 1475 determinou-se um jubileu ordinário a cada 25 anos.
Até hoje, houve 26 Anos Santos ordinários e dois extraordinários (anos santos da Reden­ção): em 1933 (Pio IX) e 1983 (João Paulo II).
O jubileu consiste num perdão geral, uma indulgência aberta a todos, e na possibilidade de renovar a relação com Deus e o próximo. Esta indulgência implica obras penitenciais, como peregrinações e visitas a igrejas.

Fonte: Rádio Vaticano (com adaptações).

domingo, 6 de dezembro de 2015

Comunidade faz 1ª visita à Capela de N. Sra. da Conceição, no bairro Piauí

Na noite de ontem, alguns fiéis de nossa comunidade participaram da celebração do 7º dia da Novena em preparação para a Festa da Imaculada Conceição de Maria, na capela dedicada a N. Sra. da Conceição, na Travessa Timbiras, no bairro Piauí, em Parnaíba.
  • Caso não veja as imagens, clique AQUI.
Foi nossa 1ª visita à essa capela! A comunidade N. Sra. da Conceição pertence à Paróquia Sagrado Coração de Jesus. Nesta paróquia há duas comunidades que festejam a Imaculada Conceição, ambos no bairro Piauí, um na Travessa Timbira e outro no Conjunto Morada da Universidade.


Presidiu a celebração neste dia o Pe. Hernesto, pároco da Paróquia N. Sra. da Assunção, localizada no povoado Camurupim, município de Luís Correia.
Em Parnaíba, além das duas capelas localizadas na área da Paróquia Sagrado Coração de Jesus há outras capelas dedicadas a N. Sra. da Conceição, uma na rua Itaúna (área da Paróquia S. Sebastião) e na rua 7 de janeiro (área da Paróquia da Graça) e três dedicadas a N. Sra. da CONCEIÇÃO "Aparecida" (em áreas da Paróquia Frei Galvão, Paróquia S. Sebastião e Paróquia S. Ana).
Conheça um pouco mais da devoção a Maria Santíssima invocada sob o título de Nossa Senhora da Conceição:
A devoção e invocação de Maria como Virgem da Conceição, isto é, "Virgem sem pecado concebida" é muito antiga na Igreja.
A Imaculada Conceição de Maria é um dogma da Igreja Católica Romana. Definido no século XIX, sua festa litúrgica é celebrada em 8 de Dezembro. Segundo o Dogma, a Igreja confessa e crê que a Bem Aventurada Virgem Maria foi preservada do pecado original desde o primeiro instante de sua existência.
O bom senso dos fiéis sempre acreditou na imunidade de Maria do pecado original. Tanto no Oriente como no Ocidente, há grande devoção à Maria enquanto mãe de Jesus e "Virgem sem Pecado", notados desde os primórdios do cristianismo, quando o dogma da Imaculada Conceição já era tido para os fiéis como verdade de fé.
Os escritos cristãos do século II testemunhavam a idéia, concebendo Maria como nova Eva, ao lado de Jesus, o novo Adão, na luta contra o mal. O Protoevangelho de Tiago, obra apócrifa antiga, narrava Maria como diferente dos outros seres humanos. No século IV, Efrém (306-373), diácono, teólogo e compositor de hinos, propunha que só Jesus Cristo e Maria de Nazaré são limpos e puros de toda a mancha do pecado.
Já no século VIII se celebrava a festa litúrgica da Conceição de Maria aos 8 de dezembro ou nove meses antes da festa de sua natividade, comemorada no dia 8 de setembro. No século X a Grã-Bretanha celebrava a Imaculada Conceição de Maria.
Na Itália do século XV o franciscano Bernardino de Bustis escreveu o Ofício da Imaculada Conceição, com aprovação oficial do texto pelo Papa Inocêncio XI em 1678. Foi enriquecido pelo Papa Pio IX em 31 de março de 1876, após a definição do dogma com 300 dias de indulgência cada vez que recitado.
Aos 8 de dezembro de 1854, Pio IX, na Bula Ineffabilis Deus, fez a definição oficial do dogma da Imaculada Conceição de Maria. Assim o Papa se expressou: "Em honra da santa e indivisa Trindade, para decoro e ornamento da Virgem Mãe de Deus, para exaltação da fé católica, e para incremento da religião cristã, com a autoridade de Nosso Senhor Jesus Cristo, dos bem-aventurados Apóstolos Pedro e Paulo, e com a nossa, declaramos, pronunciamos e definimos a doutrina que sustenta que a beatíssima Virgem Maria, no primeiro instante de sua conceição, por singular graça e privilégio de Deus onipotente, em vista dos méritos de Jesus Cristo, Salvador do gênero humano, foi preservada imune de toda mancha de pecado original, essa doutrina foi revelada por Deus e, portanto, deve ser sólida e constantemente crida por todos os fiéis"

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Comunidade faz nova visita à Baixa da Carnaúba

Na noite de hoje 25 irmãos de nossa comunidade partiram em visita à Comunidade Baixa da Carnaúba (Km 18) a qual celebra seu tradicional festejo em honra à Imaculada Conceição de Maria. Nós, enquanto comunidade dedicada a Nossa Senhora da CONCEIÇÃO Aparecida, temos sempre uma grande alegria de celebrar duplamente (12 de outubro e 08 de dezembro) o mistério da conceição imaculada da Virgem Maria, uma verdade de fé de nossa Igreja... Que Maria Santíssima sempre nos ajude a sermos puros e imaculados para nos apresentarmos diante de Deus!
Programação do Festejo 2015 da Comunidade Baixa da Carnaúba
Com a licença do pároco da Paróquia de Fátima, presidiu a celebração deste 4º dia da Novena, o reverendo Pe. Henrique Hegeman, pároco da mais nova paróquia de Parnaíba, a Paróquia São João XXIII. Partindo do evangelho do dia (Jesus teve compaixão do povo e fez a multiplicação dos pães) e do tema do dia (Compaixão), em sua homilia, Pe. Henrique exortou a todos a plantarem e cultivarem nas famílias os bons sentimentos como bondade, amor, generosidade, perdão, compaixão, misericórdia a fim de termos um mundo melhor!
Confiram imagens de nossa visita:

  • Caso não veja as imagens acima, clique AQUI
Foi mais uma visita-passeio rica da presença e das bênçãos divinas! 
Desejamos a todos que participaram deste novenário que sejam sempre acompanhados com a proteção de Maria Santíssima e abençoados profusamente pelas bênçãos celestes!
Viva Maria concebida sem pecado original! 

domingo, 29 de novembro de 2015

1º Domingo do Advento: "Guerreiros de Cristo" celebram 4º aniversário de evangelização

Na noite de hoje, com a Celebração da Palavra na qual se abriu o novo ano litúrgico (Ano C = Evangelista São Lucas), muitos fiéis da comunidade se reuniram para render graças a Deus também pelo aniversário de evangelização de nosso grupo de jovens: os "Guerreiros de Cristo".
Esse grupo, surgido após a Crisma de outubro/2011, tem contribuído consideravelmente com a comunidade, evangelizado através de encontros de formação, catequeses, celebrações, visitas missionárias, apresentação de danças, ornamentação e limpeza de nossa capela... Que Deus os recompense!

  • Caso não veja as imagens acima, clique AQUI.
Que mais jovens se integrem ao grupo e, possam ter a alegria de, como Jesus, dizer: "Eu vim para servir" (Mc 10, 45)

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Mais uma visita à Comunidade Santa Teresinha no "Catavento"

Na noite de hoje, muitos irmãos da comunidade foram caminhando até à Capela da comunidade Santa Teresinha, localizada na Rua Frei João Pedro, no bairro S. Vicente de Paulo ("Catavento"), para participar do último dia da novena da festa em honra da Padroeira das Missões! Além de irmãos de nossa comunidade, foram também dona Corcina e seu filho Maicon, fiéis moradores do Residencial Dom Rufino I e o bloggueiro católico, João Marcelo.
Programação, AQUI.
Nessa novena, a Igreja, através do seu ministro, nosso pároco, o Pe. Vicente Gregório, gerou 19 novos filhos. 
Irmãos da Comunidade Broder Ville e do Residencial Dom Rufino I

Parada para foto na volta para a comunidade
Que Deus abençoe a todos que tem participado do Festejo de Santa Teresinha e também os novos cristãos!

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Dia Nacional do Leigo 2015 é comemorado na Comunidade

Muitos fiéis participaram ontem, da Santa Missa na Festa de Cristo Rei do Universo, último domingo do ano litúrgico. A celebração foi presidida pelo Pe. João Maria.
Nesta celebração quando também se celebra o Dia Nacional do/a Leigo/a, foram entregue os Certificados de Crisma aos leigos e leigas, jovens e adultos que confirmaram sua fé batismal no último domingo 15/11... Dos 33 confirmados, 23 marcaram presença nesta celebração...
Na Missa também se fez o lançamento da Campanha Natal Sem Fome 2015. Em todas as nossas celebrações, até o dia 12 de dezembro, colabore com essa campanha diocesana. 
Que todos os fiéis - batizados, crismados - continuem dando seu testemunho de fé nas celebrações da Comunidade e na sociedade, pois o reino de Cristo se estabelece no serviço a Deus e ao próximo!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...