sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

NATAL 2009

No dia 24 de dezembro, às 19 h, realizou-se na Capela de nossa comunidade a Celebração da Noite de Natal.
Houve apenas uma Celebração da Palavra de Deus, entretanto várias pessoas participaram deste momento solene de louvor ao Grande Aniversariante – JESUS CRISTO – ele que há 2009 anos “armou sua tenda” entre nós - como escreveu o Apóstolo São João.

No final da celebração foi entregue a duas gestantes um pequeno enxoval (contendo fraudas descartáveis, mamadeiras e cueiros). Este foi fruto de um gesto concreto da Novena em preparação para o Natal que ocorreu em oito famílias da comunidade.
No dia 22/12 na novena realizada na família do Sr. Alvino e da Sra. Carlota os presentes trouxeram suas doações e assim foram feitos os dois enxovais a que foram entregues no dia 24/12.
Após a entrega do gesto concreto, rezou-se para que as crianças que ainda nascerão sejam mensageiras da PAZ assim como JESUS.
Em seguida todos foram para suas residências onde buscaram, em família, parabenizar o grande aniversariante de hoje.
A Comunidade Na. Sra. Aparecida deseja a todos um Feliz e Santo Natal e que o nascimento de Jesus seja todo dia em nossas vidas!!!

domingo, 25 de outubro de 2009

25 de outubro, dia de Frei Galvão, bispo diocesano anuncia nova paróquia para Parnaíba!

Nossa comunidade “em peso” hoje foi participar da Procissão e Missa de encerramento da Festa em honra a Santo Antonio de Sant’Ana Galvão, primeiro brasileiro a ser canonizado. Fretamos uma van pra nos levar ao Conjunto Joaz Souza onde acontecia o novenário.
Santo Antônio de Sant'Ana Galvão, OFM, mais conhecido como Frei Galvão nasceu em Guaratinguetá em 1739 e veio a falecer em São Paulo em 1822. Foi beatificado em 25 de outubro de 1998 pelo Servo de Deus, papa João Paulo II e foi canonizado por Sua Santidade, o papa Bento XVI durante sua visita ao Brasil, no dia 11 de maio de 2007.
A missa foi presida por nosso pastor diocesano, Dom Alfredo Scháffler e concelebrada por nosso pároco, Pe. Carlos Seixas. Participaram inúmeros fiéis das mais diversas comunidades de nossa e de outras paróquias. Na sua homilia nosso pastor falou do exemplo de vida que foi Frei Galvão, “homem de Paz e Caridade” como assim chamou João Paulo II no dia de sua beatificação.
Dom Alfredo, com essa Santa Missa abriu em nível paroquial, as Santas Missões Populares, que ocorrerão durante 2009-2013 em nossa diocese. Para isso serão formados vários missionários (segundo o método do Pe. Luís Mosconi) para poder realizar as visitas daqui a dois anos às famílias de nossas paróquias.
Já encerrando a missa, nosso bispo diocesano anunciou que a Igreja, cujo altar possui a relíquia de Frei Galvão, virá logo logo a ser a matriz da nova paróquia que ele instalará em nossa diocese, a Paróquia de Santo Antônio de Sant’Ana Galvão. Para isso ele espera contar com benfeitores para a construção da Casa Paroquial. Nossa comunidade pertencerá a esta nova paróquia!
Em nosso estado, é bem possível que esta igreja seja a única a ter em seu altar a relíquia de um santo (pedacinho de osso do dedo de Frei Galvão). E por que conservar relíquias de um santo num altar, que é onde é celebrado o santo sacrifício da Missa?
“O altar é a mesa do Senhor. Esta é a sua maior dignidade. Na Antiguidade era costume dos cristãos erigir o altar sobre os restos mortais dos Mártires. E tinham consciência de que não são os corpos dos Mártires que honram o altar, mas o altar é que torna nobre o sepulcro dos Mártires. Por isso, para honrar seus corpos e dos outros Santos, e também para significar que o sacrifício da Cabeça se perpetua no sacrifício dos membros, hoje se recomenda erigir os altares sobre os sepulcros destes ou encerrar suas relíquias sob os mesmos.
Deste modo, como escreve Santo Ambrósio de Milão († 397), “entrem as vítimas vitoriosas no lugar em que Cristo é a Vítima. Mas, sobre o altar, aquele que morreu por todos; e, sob ele, os resgatados pela paixão de Cristo”.
Faz lembrar a visão do evangelista João, exilado na ilha de Patmos, registrada no livro do Apocalipse: “Vi debaixo do altar, com vida, os que tinham sido degolados por causa da palavra de Deus e do testemunho que guardavam” (Ap 6,9).
E o atual Ritual da dedicação de altar explicita: “Na verdade, todos os Santos podem, com justiça, ser chamados testemunhas de Cristo. Contudo, o testemunho dado pelo sangue possui força espiritual, que somente as relíquias dos Mártires, colocadas sob o altar, expressam de modo total e íntegro” (ibid., n.º 5).
(Sentido Teológico do Altar cristão <http://www.arquidiocese-sp.org.br/noticias/2008/noticias_080827_dedicacao_altar_catedral.htm>)

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

FESTA DA PADROEIRA - 2009

Nestes 5 dias de Festejo estamos contando com a participação de vários devotos de Nossa Senhora Aparecida. Estão sendo dias de bênçãos e graças para todos!
No 1º dia, à noite, o Pe. Marcos Amorim, explanou muito bem o tema Central de nossa Festa e explicou que a partir do Batismo somo discípulos missionários de Jesus!
No 2º dia, e também de São Francisco, houve pela manhã, a Celebração da Palavra de Deus, sendo animada/presidida pelo MESC, Hermerson Saulo, após o momento de oração houve a Partilha do Café!
No 3º e 4º dia da Novena, à noite, houve também Celebração da Palavra (animadas pelos MESCs Hermerson Saulo e Alvino Fontenele) com a presença das Comunidades vizinhas!
Após cada celebração, o momento de Confraternização estão acontecendo de forma bem pacífica!
Se você ainda não conhece nossa comunidade, faça-nos uma visita! Compartilhe de nossa alegria!
Nossa Senhora Aparacida espera-lhe para poder logo lhe apontar a Jesus, o sumo bem!

terça-feira, 29 de setembro de 2009

A FESTA DA PADROEIRA VEM AÍ

No próximo Sábado (dia 03 de outubro) inicia-se a Festa da Padroeira do Brasil e de Nossa comunidade! Venha participar conosco desta festa!

Convite
Caríssimos irmãos e irmãs,

Temos a grande alegria de convidá-los a participar do Novenário em honra da Virgem Mãe de Deus e nossa, a Senhora da Conceição Aparecida, que é Padroeira do Brasil e de nossa comunidade, a realizar-se de 03 a 12 de outubro de 2009.
Nossa Senhora Aparecida continua sua missão de evangelizadora do Povo de Deus e pede-nos que obedeçamos ao mandato de seu filho: “Vão e façam com que todos os povos se tornem meus discípulos!” (Mt 28,19).
“Jesus veio ao mundo por meio de uma mulher” (Gl 4,4) para comunicar a Paz e a Segurança, como já profetizou Isaías: Ele é “o Príncipe da Paz” (Is 9,6). Dessa descrição da missão de Jesus, que também é nossa, pois somos seus discípulos missionários, surgiu o Tema Central de nossa festa:
“Com Nossa Senhora Aparecida, discípula-missionária, buscaremos a Paz e a Justiça na Comunidade”.
Alegra-nos poder contar com sua participação, para abrilhantar o nosso Novenário e o Dia da Festa, constando, ao longo dos dias[1]:
18h30min: Recitação do Terço;
19h00min: Novena simples/Santa Missa;
20h00min: Confraternizações com comidas típicas, leilões e/ou bingos.
Saudações fraternais,
A Coordenação.

[1] Exceto no 2º dia de Novena, pois a programação é pela manhã!


TEMÁRIOS
  • 1º Dia (03/10 – Sáb): Nossa Senhora, modelo de servidora do Senhor e Mãe dos Sacerdotes
    Leituras: Br 4, 5-12.27-29; Salmo 68; Lc 10,17-24.
    Responsáveis: Equipe de Liturgia. - MISSA
    Convidados: Comunidades Centro e Pedra do Sal; os moradores da Rua Principal.
  • 2º Dia (04/10 - Dom): Nossa Senhora, modelo de Mãe e Esposa (Dia de S. Francisco)
    Leituras: Gn 2,18-24; Salmo 127; Hb 2,9-11; Mc 10,2-16. (27º Dom T.C.).
    Responsáveis: Equipe de Liturgia.
    Convidados: os moradores da Rua – A.
  • 3º Dia (05/10 - Seg): Nossa Senhora, modelo de amor ao próximo
    Leituras: Jn 1,1-2.11; Cant. Jn 2,2-5.8; Lc 10,25-37
    Responsáveis: Equipe de Liturgia. - MISSA
    Convidados: Comunidades S. Vicente e Joaz Souza; os moradores da Rua – B.
  • 4º Dia (06/10 - Ter): Nossa Senhora, modelo dos Catequistas
    Leituras: Jn 3,1-10; Sl 129; Lc 10,38-42
    Responsáveis: Catequistas.
    Convidados: Comunidades Santa Luzia, Santa Teresinha; os moradores Rua – C.
  • 5º Dia (07/10 - Qua): Nossa Senhora, modelo de ouvinte da Palavra do Senhor (Ns. Sra. do Rosário)
    Leituras: At 1,12-14; (Magnificat); Lc 1,26-38.
    Responsáveis: Equipe de Liturgia. - MISSA
    Convidados: Comunidades Ns. Sra. Bom Conselho, Ns. Sra. P. Socorro e Ns. Sra. de Fátima (Paroq. S. Sebastião); os moradores da Rua – D.
  • 6º Dia (08/10 - Quin): Nossa Senhora, modelo de perseverança na Oração
    Leituras: Ml 3,13-20a; Sl 1; Lc 11,5-13
    Responsáveis: Equipe de Liturgia. - MISSA
    Convidados: Comunidades Cajazeiras e Cândido Athayde; os moradores da Rua - E
  • 7º Dia (09/10 - Sex): Nossa Senhora, modelo dos Discípulos Missionários de Jesus
    Leituras: Jl 1,13-15;2-1-2; Sl 9; Lc 11,15-26.
    Responsáveis: Equipe de Liturgia.
    Convidados: Comunidades Lagoa da Prata e Tabuleiro; os moradores da Rua - F
  • 8º Dia (10/10 - Sáb): Nossa Senhora, modelo de serva e praticante da Palavra do Senhor
    Leituras: Jl 4,12-21; Sl 96; Lc 11,27-28.
    Responsáveis: Equipe de Liturgia.
    Convidados: Comunidades São Francisco e Sagrado Coração de Jesus; Rua - G
  • 9º Dia (11/10 - Dom): Nossa Senhora, modelo de Partilha e Solidariedade
    Leituras: Sb 7,7-11; Salmo 89; Hb 4,12-13; Mc 10,17-30. (28º Dom T.C.).
    Responsáveis: Dizimistas.
    Convidados: Comunidade São José (Paroq. da Graça), e R- D. Pedro I
  • Dia da Festa: (12/10 - Seg): Com Nossa Senhora Aparecida, discípula missionária, buscaremos a Paz e a Justiça na Comunidade.
    Leituras: Est 5,1; 7,2-3; Sl 45; Ap 12,1-16; Jo 2,1-11
    Responsáveis: Equipe de Liturgia. - MISSA
    Convidados: Todos os paroquianos e devotos da Senhora Aparecida!

Primeira Comunhão Eucarística de crianças

No dia 27/09 (26º Domingo do Tempo Comum) nossa comunidade festejou a 1ª Comunhão Eucarística de 17 Crianças. A turma teve como catequistas, a Sra. Carlota e D. Rosa. Durante todo o mês de setembro ensaiou-se os cânticos bem como toda a Liturgia dessa missa. A celebração saiu belíssima: todas as crianças cantaram muito bem; os coroinhas da nossa matriz trouxeram o insenso; algumas crianças fizeram as preces e as Leituras. Quase ao final da celebração o então Coordenador Paroquial de Catequese, Sr. Alvino, pronunciou-se pedindo que os pais participassem juntamente com seus filhos das missas futuras a fim de que estes não fiquem apenas na 1ª Eucaristia e assim possam ter uma Vida Eucarística.
Um momento marcante dessa missa foi a homilia bastante inspirada do presidente da celebração, o nosso pároco, Pe. Carlos Seixas. Ele rememorou-nos a 1ª missa que Cristo celebrou (naquela tarde da Quinta-feira Santa)e falou-nos da importância de se receber sempre a Cristo na Eucaristia.
Ao final da Celebração foi partilhado com as crianças e seus familiares um gostosíssimo bolo feito pelas catequistas Carlota e Socorro.
Ficou marcante em nossa memória essa Santa missa!


Preparemo-nos agora para a Festa de Nossa Padroeira, de 03 a 12 de outubro!

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

A PADROEIRA DE PARNAÍBA-PI



A Igreja Diocesana de Parnaíba está em festa! A sua Igreja Catedral está realizando o Novenário em honra da Padroeira diocesana, Nossa Senhora Mãe da Divina Graça (ou apenas, Nossa Senhora da Graça). O título atribuído à Maria, Mãe de Jesus, como Mãe da Divina Graça remonta ao século V d.C. quando foi proclamado, em Concílio na cidade de Éfeso (431 d.C. - papa Celestino I), o dogma maternidade divina de Nossa Senhora, ou seja, Maria é Mãe de Deus (Theotokos), por ser mãe de Jesus Cristo (que é Deus também – 2ª Pessoa da Trindade Santa), portanto Maria é Mãe da Divina Graça (que é Jesus) ou Mãe da Graça por excelência, já que o por meio dela veio o próprio Deus Encarnado dispensador de toda Graça que vem do Céu. Durante muitos anos festejou-se o dia de Nossa Senhora Mãe da Divina no dia 11 de outubro, pois neste dia o papa Pio XI definiu que a partir do ano 1931 (15º Centenário do Concílio de Éfeso) fosse celebrado como sendo o dia para se festejar a proclamação do dogma da Maternidade Divina de Maria. A partir da década de 1990 a data da festa foi modificada em nossa cidade, isso porque já se devia ter sido observado as normas do novo Calendário Litúrgico (1969) promulgado ainda pelo papa Paulo VI no qual a festa da Maternidade Divina de Maria passaria a ser celebrada em 1º de janeiro, encerrando assim as comemorações da Oitava do Natal (25/12 à 01/01). A festa da Maternidade Divina de Maria ou Solenidade de Santa Maria Mãe de Deus em 01 de janeiro adquiriu assim uma ligação mais teológica e litúrgica com o Natal. E ficou sendo um bonito gesto de carinho para com a Santa Virgem, dando-lhe os parabéns porque traz em seus braços o "bendito fruto de seu ventre", o Salvador do mundo, que se dignou nascer criança entre nós, como nascem todos os meninos. O que fez o profeta dizer: "Nasceu para nós um pequenino, e um filho nos foi dado. Ele traz sobre os ombros a soberania, ele se chamará maravilhoso conselheiro, Deus forte, Pai sempiterno, Príncipe da paz" (Is 9,6). Essa é a primeira glória de Maria: a Maternidade Divina. Tudo o mais lhe foi dado como valores que adornam essa grandeza fundamental. Assim a Imaculada Conceição, a plenitude da graça, a concepção virginal; e, como coroa de tudo, a Assunção ao céu em corpo e alma. (parágrafo adaptado de uma homilia de Pe. Lucas: http://www.catolicanet.com/?system=liturgia&action=ver_liturgia&ano=2009&data=01-01).
Como o Natal é tempo por excelência de Cristo, não é interessante fazer um novenário no período de 23/12 a 01/01 por isso, numa festa mariana que o novo Calendário (mas que já está um tanto velhinho) conserva, a da Festa da Natividade de Nossa Senhora, dia 08 de agosto, passou-se então a este dia servir para celebrar e honrar a padroeira de nossa amada Terra, Nossa Senhora Mãe da Divina Graça.
Neste ano, no dia da festa se fará mais uma Caminhada Com Maria, essa será a 3ª, momento de fé e de graças. Participemos!!!

Para saber mais: 
A imagem de nossa padroeira foi trazida de Portugal no final século XVIII e até hoje está exposta para a veneração dos fiéis. A Igreja Catedral da diocese de Parnaíba é um belíssimo templo que foi concluído em 1795 e apresenta características da arte barroca. Vale a pena conhecê-la e ver e amar cada detalhe nela contida!
A Festa da Natividade de Nossa Senhora consiste em comemorar o aniversário natalício de Maria, mãe de Jesus, pois como sabe-se (através da Tradição Apostólica) no dia 08 de dezembro Santa Ana concebeu de forma imaculada a sua filha (Maria), então passados 9 meses, portanto 08 de setembro, Nossa Senhora veio ao mundo e foi acolhida pelos pais Joaquim e Ana. Sendo levada alguns anos depois, quando ainda era criancinha para servir a Deus no Templo, onde sabemos que depois foi acolhida por São José como esposa e resto dessa história já sabemos, né? Mais informações, leia Lucas Cap. 1 vers. 26 ao 53 e veja como toda as honras que prestamos a Nossa Senhora, nada mais são do que um louvor a Deus pelas maravilhas que ele realizou na Humanidade por meio de Maria, ela que profetizou “Todas as gerações me chamarão bendita (bem-aventurada)” (Lc 1, 48). Enfim, continuemos devotando nossa confiança em Maria que ela pedindo ao Filho, ele com certeza atende! Assim Seja!
Recomendo a leitura da homilia bastante ungida do nosso Santo Padre, felizmente reinante, o papa Bento XVI, proclamada em sua cátedra na festa da Maternidade Divina de Maria ou Solenidade de Santa Maria Mãe de Deus de 2008. Vale a pena lê-la! (Acesse-a AQUI).
Mais informações sobre a Diocese acesse o link que está presente na lateral deste blog! Pode também clicar em http://www.diocesedeparnaiba.org.br/

Por: Hermerson Saulo, catequista da Comunidade.

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

DIA DO/A CATEQUISTA - 2009

No Brasil, o último Domingo do mês de agosto, Mês das Vocações, comemora-se o Dia do Catequista e da Catequista. Neste ano de 2009, a celebração caiu no dia 30/08, o 22º Domingo do Tempo Comum.
O/a Catequita é o/a cristão/ã vocacionado/a por Deus para levar a sua Boa Nova a todos aqueles (crianças, jovens, adultos e idosos) que ainda não lhe conhecem verdareiramente.
A Catequese é a base da Igreja. Se não houver Catequese, bem possivelmente ninguém participará da Missa. Por isso é importante o trabalho que o/a Catequista faz no sentido de fazer as pessoas conhecerem e amar um Deus que está próximo de nós e que se manifesta de forma mais perfeita na Comunidade Eclesial através das celebrações.
Neste Ano Catequético Nacional somos convocados a assumir a Catequese familiar como a base de iniciação à vida cristã, mas também somos convocados a motivarmos o/as catequitas de nossas comunidades nesta missão tão importante e necessária na Igreja. Por isso, ocorreu uma missa em nossa Igreja-Matriz de Ns. Sra. de Fátima onde participaram cerca de 80 catequistas de nossa paróquia.
A missa foi presidida pelo Pe. Marcos Amorim e o Diácono Oscar foi o pregador e este apresentou em sua homilia, que os catequistas praticam a verdadeira religão como disse o apóstolo São Tiago na 2ª leitura daquela Missa, pois a verdadeira religião consiste em ajudar o próximo, os excluídos e isso todos o/as catequistas de nossa paróquia procuram fazer, visto que são muitos os que ainda necessitam ter um encontro pessoal com Jesus.
Após a missa houve uma partilha de um bolo no Salão St. Afonso. Nosso Coordenador Paroquial de Catequese, Sr. Alvino (que reside em nossa comunidade) explicou as razões de não termos feito um passeio neste dia como de costume, mas ele espera que haja uma outra oportunidade para isso.
O/as catequistas (Saulo, Édina, Rosa, Maria, Socorro, Nathália, Alvino e Carlota) de nossa comunidade participaram em peso destes momentos de fé.
À noite, em nossa comunidade eclesial, o/as catequistas fizeram uma Celebração da Palavra e diante da Bíblia, livro máximo da Catequese, renovaram seus compromissos de catequistas! Foi uma celebração muito bela!
Rezemos ao Senhor para que envie mais operários (Catequistas) para nossa Comunidade a fim de mais pessoas poderem conhecer a Deus e a sua Igreja! Amém!
P.S.: Não deixe de conferir as fotos abaixo! A última foto foi tirada aqui em nossa capelinha, as de cima foram na Igreja-matriz e no Centro de Pastoral Pe. Pedro Cahir.

FOTOS DO DIA DO/A CATEQUISTA - 2009



















terça-feira, 30 de junho de 2009

ENCERRAMENTO DO ANO PAULINO

Cerca de 30 irmãos e irmãs da Comunidade Ns. Sra. Aparecida fizeram uma Peregrinação à Comunidade Imaculado Coração de Maria (no Conj. Joaz Souza) neste domingo, 28/06, às 17h para participarem de uma missa presidida pelo Sr. Bispo diocesano, Dom Alfredo Scháffler, no Encerramento do Ano Paulino - ano jubiliar proclamado pelo Santo Padre, o papa Bento XVI, com o objetivo de levar os cristãos a conhecerem mais a pessoa do Apóstolo das Nações, de celebrar os 2000 anos de seu nascimento e perceber suas contribuições para a fé Católica. Foi, de fato, um ano de graça, pois durante todo o ano 2008-2009 fez-se inúmeras reflexões em nossos encontros sobre o apóstolo Paulo.
Como era dia da Solenidade de São Pedro e São Paulo, Dom Alfredo na homilia destacou a importância das ofertas recolhidas naquela celebração. As ofertas em dinheiro coletas neste dia são enviadas ao Vaticano onde lá se torna o Óbolo de São Pedro. Esta "esmola" ajuda os projetos sociais do Santo Padre espalhadas pelo mundo inteiro, principalmente às clínicas de tratamento das pessoas com AIDS na África. A coleta de ofertas neste dia foi de R$ 81,15 (oita e um reais e quinze centavos)
Dom Alfredo relatou na sua homilia que, as divisões na Igreja começaram cedo (p. ex.: no Concílio apóstólico de Jerusalém - 50 d.C.), mas que através do diálogo se conseguiu a Paz interna. E foi o que ele pediu a todos - devemos buscar a união em nossa igreja. Ele apresentou também o "retrato" da pessoa "incapacitada" de São Pedro e a pessoa "instruída, erudita" de São Paulo. O primeiro, rude, pescador - escolhido como príncipe dos apóstolos (Pastor Universal do Rebanho do Senhor), o segundo, conhecedor das Leis - "caiu do cavalo, quebrou o nariz", teve que se converter e anunciar a Salvação ao Gentios (às Nações).
Nosso bispo explicou ainda sobre o porquê de nossa Igreja diocesana ser Católica, Apóstolica, Romana. Católica, porque no local ela, através dele, representa a ligação direta com a Igreja Universal. É romana, porque tem o rito latino e deve obediência a Pedro (na pessoa do Papa) e é Apóstolica, porque ele, um humilde servo do Senhor, foi escolhido para apascentar esta porção do Povo de Deus (Diocese de Parnaíba). Através da Ordenção Episcopal, Dom Alfredo passou a ser sucessor direto do apóstolo São João.
Viva São Pedro e São Paulo!
Viva o Papa Bento XVI!
Viva Dom Alfredo!
Louvado seja Deus que nos apresenta exemplos de santidade!

sábado, 20 de junho de 2009

ANO SACERDOTAL (2009-2010) - ABERTURA

Ontem, sexta-feira (19/06/09) – Solenidade do Sagrado Coração de Jesus e Dia de Santificação dos Sacerdotes – o Sumo Pontífice, Bento XVI presidiu, na Basílica de São Pedro, as segundas Vésperas desta Solenidade. Com essa celebração, o Santo Padre abriu o Ano Sacerdotal por ele convocado em 16/03/2009, por ocasião dos 150 anos de morte do Santo Cura d'Ars – João Batista Maria Vianney (1786 - 1859) – patrono dos párocos, que ele proclamará patrono de todos os sacerdotes no dia 04/08/2009, data de seu nascimento para o céu.
Em comunhão com a Santa Madre Igreja, nossa Comunidade abriu também o Ano Sacerdotal com a oração do Santo Rosário às 19h00min. Na ocasião, os fiéis pediram a Ns. Sra. Aparecida e a S. João Maria Vianney que intercedam pela santificação dos nossos sacerdotes.
Que neste ano jubilar (19/06/2009 – 19/06/2010) intensifiquemos as nossas orações pelo Clero a fim de que nossos Pastores se tornem modelos de vida para todos os cristãos e que ele possam cumprir bem a Missão confiada a eles pelo Senhor Jesus, Sumo Sacerdote.
ORAÇÃO PARA O ANO SACERDOTAL


Senhor Jesus,
Vós quisestes dar a Igreja, em São João Maria Vianney, uma imagem vivente e uma personificação da caridade pastoral.
Ajudai-nos a viver bem este Ano Sacerdotal, em sua companhia e com o seu exemplo.
Fazei que, a exemplo do Santo Cura d’Ars, possamos aprender como estar felizes e com dignidade diante do Santíssimo Sacramento, como seja simples e quotidiana a vossa Palavra que nos ensina, como seja terno o amor com o qual acolheu os pecadores arrependidos, como seja consolador o abandono confiante à vossa Santíssima Mãe Imaculada e como seja necessária a luta vigilante e fiel contra o Maligno.
Fazei, ó Senhor Jesus que, com o exemplo do Cura d’Ars, os nossos jovens possam sempre mais aprender o quanto seja necessário, humilde e glorioso, o ministério sacerdotal que quereis confiar àqueles que se abrem ao vosso chamado.
Fazei que também em nossas comunidades, tal como aconteceu em Ars, se realizem as mesmas maravilhas de graça que fazeis acontecer quando um sacerdote sabe “colocar amor na sua paróquia”.
Fazei que as nossas famílias cristãs saibam descobrir na Igreja a própria casa, na qual os vossos ministros possam ser sempre encontrados, e saibam fazê-la bela como uma igreja.
Fazei que a caridade dos nossos pastores anime e acenda a caridade de todos os fiéis, de tal modo que todos os carismas, doados pelo Espírito Santo, possam ser acolhidos e valorizados.
Mas, sobretudo, ó Senhor Jesus, concedei-nos o ardor e a verdade do coração, para que possamos dirigir-nos ao vosso Pai Celeste, fazendo nossas as mesmas palavras de São João Maria Vianney:
Eu Vos amo, meu Deus, e o meu único desejo é amar-Vos até o último suspiro da minha vida.
Eu Vos amo, Deus infinitamente amável, e prefiro morrer amando-Vos a viver um só instante sem Vos amar.
Eu Vos amo, Senhor, e a única graça que Vos peço é a de amar-Vos eternamente.
Eu Vos amo, meu Deus, e desejo o céu para ter a felicidade de Vos amar perfeitamente.
Eu Vos amo, meu Deus infinitamente bom, e temo o inferno porque lá não haverá nunca a consolação de Vos amar.
Meu Deus, se a minha língua não Vos pode dizer a todo o momento que Vos amo, quero que o meu coração Vo-lo repita cada vez que respiro.
Meu Deus, concedei-me a graça de sofrer amando-Vos e de Vos amar sofrendo.
Eu Vos amo, meu divino Salvador, porque fostes crucificado por mim e porque me tendes aqui em baixo crucificado por Vós.
Meu Deus, concedei-me a graça de morrer amando-Vos e de saber que Vos amo.
Meu Deus, à medida que me aproximo do meu fim, concedei-me a graça de aumentar e aperfeiçoar o meu amor.
Amém.


segunda-feira, 8 de junho de 2009

INVESTIDURA DE MESC DA PARÓQUIA DE FÁTIMA

No Domingo, dia 07/06, pela manhã houve na Celebração da Santa Missa a instituição de novos Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão (MESC) bem como a renovação da provisão dos ministros veteranos. Foram ao todo 49 MESC instituídos (investidos) por Dom Alfredo Scháffler. Conforme as cartas Provisão que nosso bispo diocesano escreveu e mandou entregar para cada um instiuído MESC lê-se que os mesmos deverão permanecer neste ministério por um período de 3 anos.
Os MESC devem "servir" levando a Eucaristia (Santa Comunhão) aos doentes ou idosos que estão impossibilitados de saírem de casa (estando em estado de graça santificante, ou seja que não tenha cometido pecado grave e que já tenha se confessado ao padre), bem como distribuir a Comunhão em Missas onde o número de fiéis é extenso demais para um só padre distribuir a mesma. Os MESC podem ainda presidir Celebrações da Palavra de Deus nas suas comunidades, bem como presidir as Exéquias na falta do padre. Como exortou nosso bispo diocesano na homilia, ser MESC "é ser servir". Esperamos que nossos irmãos instituídos cumpram bem esta nova missão.
Ao final da Missa todos os MESC foram em procissão para a Sacristia onde nosso bispo exigiu de cada um o maior zelo para com o Sacrário das comunidades que participam, a fim de que o Santíssimo Sacramento (O corpo do Senhor) não seja violado.
Nossa comunidade tem como MESC o Sr. Alvino (veterano) e Hermerson Saulo (novato). Rezemos para que eles possam servir bem ao povo de Deus de nossa comunidade!

CRISMA - 2009

Neste sábado, dia 06 de junho, como já havia sido informado, finalmente ocorreu a Crisma dos crismandos de nossa Comunidade.
Na Celebração de Crisma foram crismados jovens (cerca de 170) de diversas comunidades de nossa paróquia: Km 18, Sabiazal, Brooderville, São Vicente de Paula, Santa Luzia, São Francisco e Cajazeiras.
A celebração foi muito bonita e durou mais de 2 horas. Havia muita gente. Uma crismanda de nossa comunidade (Ivanice) foi quem cantou o Salmo Responsorial e cantou muito bem por sinal.
Na homilia, nosso bispo, Dom Alfredo Scháffler, pediu aos jovens que se interessassem mais pelas pastorais de suas comunidades, pois como disse ele “a Igreja tem espaço para os jovens”. E pediu ainda que contassem com a ajuda e conselhos dos padrinhos/madrinhas por eles escolhidos.
Esperamos que esses jovens, agora Cristãos Confirmados, através do acolhimento deste Sacramento se tornem mesmo testemunhas, apóstolos e missionários de Jesus Cristo com a força do Espírito Santo! Que eles evangelizem a sua própria família bem como a todos aqueles que ainda não conhecem a Jesus Cristo.
E como dizia a frase inscrita nas blusas deles: “Discípulos missionários de Cristo, promotores da Justiça e da Paz”, esperamos que eles assumam, de fato, este compromisso que foi também temática da Campanha da Fraternidade deste ano.
Os cristãos confirmados foram: Adécio Jr., Aline de Fátima, Beatriz, Claucyvânia, Danilo, Drilene, Érika, Eulália, Francisco Carlos (Sr. Louro), Francisco Franklin, Gleisson, Ivanice, Jéferson, Kamila, José Mário, Lana Sara, Lucilene, Mariane, Nalita, Rafaela, Rosimeire, Thalita Raviane, Thamarya Lourdymira, Thayz Dammianny e Vinícius.
Ao sairem da celebração da Crisma, os Confirmados, seus parinhos e parentes dirigiram-se todos para a nossa comunidade eclesial onde confraternizaram-se e partilharam de um bolo (e que bolo grande!) preparado pelas catequistas Carlota e Socorro, mas que também os demais catequistas e a própria Coordenação da comunidade colaborou para isso.
Foi e será um dia inesquecível para todos os Confirmados como também pelos catequistas desta turma: D. Édina e Hermerson Saulo.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

VISITA PASTORAL DO SR. BISPO DIOCESANO

Após uns 40 minutos de conversa com a comunidade, Dom Alfredo resolve iniciar a Santa Missa. Concelebraram esta Eucaristia com o Sr. Bispo, os padres: Pe. Carlos Seixas (pároco) e Pe. Marcos Amorim (vigário).
A comunidade participou "em peso" deste momento privilegiado em nossa comunidade, onde um legítimo sucessor dos Apóstolos veio presidir a Eucaristia para nossa comunide. Dom Alfredo no início desta celebração informou-nos que esta Missa era dedicada às Famílias de nossa Comunidade.
A Primeira Leitura (Tobias 6,10-11;7,1.9-17;8,4-9a), o Salmo Responsorial (Sl 127/128) e as Preces foram feitas por crismandas da comunidade. Pe. Marcos proclamou o Evangelho (Marcos 12,28b-34).
Na Homilia, nosso bispo, falou do amor cristão, que deve ser amor-doação como fez Jesus Cristo com sua morte de Cruz. Dom Alfredo disse que ao olharmos a Cruz de Cristo devemos lembrar e praticar o amor a Deus (sentido horizontal da Cruz) e o amor ao próximo (sentido vertical da Cruz) que foi o tema do Evangelho do dia.
O Sr. Bispo conclamou também as famílias de nossa comunidade a se tornarem famílias catequizadoras, a fim de que tenhamos um mundo melhor, sem tantos crimes, sem presos vivendo em condições sub-humanas, como ele observou na recente Visita Pastoral que fez a Esperantina.
Ele lembrou do que escreveu aos Romanos no I século o Apóstolo São Paulo "é pela pregação que vem a Fé, portanto se calarem não crerão" (Rm 10,17), portanto todas as famílias e todos os cristãos devem evangelizar, ou seja, levar outras pessoas a serem discípulos de Cristo - temática essa do Ano Catequético Nacional - 2009 (Catequese, caminho para o discipulado) que estamos celebrando.
Dom Alfredo disse ainda que nós devemos ser "sal e luz no mundo" e "fermento na massa" como tantas vezes Jesus Cristo convocava seus discípulos.
Rezemos a fim de que coloquemos em prática o que nosso Pastor pediu de cada um de nós que constituímos essa comunidade!
Ao final da Santa Missa, as crianças cantaram a parte final da paródia "Dom Alfredo, veio visitar" com a qual nós enviamos Dom Alfredo às outras comunidades que visitará. Depois, a Coordenação desta Comunidade ofereu duas lembranças ao nosso bispo, uma Foto e uma Flor. Nosso Pastor gostou muito das lembranças e frizou que "sempre se lembra de nossa comunidade, mas que com a foto se lembrará mais ainda". Após isso nosso Pastor agradeceu a todos pelo carinho e se despediu de nossa comunidade.
A foto oferecida a Dom Alfredo foi esta:

VISITA PASTORAL DO SR. BISPO DIOCESANO

Pontualmente, conforme a Programação postada aqui em 02/06, nosso bispo diocesano chegou às 18h00min a nossa Comunidade.
Ao entrar na Igrejinha foi acolhido com uma canção em sua homenagem por cerca de 25 crianças dos níveis III e IV da Catequese de p/ a 1ª Comunhão. A música, que na verdade é uma paródia, foi composta por uma catequista da comunidade, Carlota Evandra e esta juntamente com outras catequistas ensaiaram com estas crianças nos dias anteriores à Visita.
Dom Alfredo ficou muito emociado por ouvir as criancinhas cantar em sua homenagem e também por ver o belo coral que formaram. Após ouvir as crianças cantarem ele disse que gostaria de receber uma cópia da Letra da música que ele iria guardar com muito amor e carinho.
Em seguida, o Sr. Bispo buscou saber dos presentes (catequistas e outros fiéis leigos) como estão se desenvolvendo as pastorais da comunidade e comentou sobre trágico acontecimento na cidade de Cocal-PI (o transbordamento da Barragem Algodões I), mas que estava esperançoso porque muitos paroquianos de Piripiri hoje enviaram doações para aquela cidade, bem como que, pessoas do Paraná, ao ouvirem seu discurso na Rede de Rádio Católicas (Rádio Aparecida) ligaram pra ele afirmando que nesses dias enviarão também doações. Vimos assim a preocupação que tem nosso Pastor com suas Ovelhas (com o Rebanho que é toda a Diocese de Parnaíba-Pi, que engloba aí inúmeras cidades da região norte do Piauí.


Eis a música:
Dom Alfredo Scháffler veio visitar

(Melodia da música: Hino do Catequista;
Letra da paródia: Carlota Evandra Nunes Fontenele)

- Dom Alfredo, Dom Alfredo, veio visitar, a nossa comunidade para mais nos alegrar, a nossa comunidade para mais nos alegrar.
- És Pastor de todos nós, catequiza todo mundo/ e tem pela Catequese um carinho bem profundo./ Vem, vem, pois é verdadeiro,/ seu amor pela comunidade Brooderville e o mundo inteiro,/ seu amor pela comunidade Brooderville e o mundo inteiro.
- És o nosso Bom Pastor, se preocupa com a nação,/ busca a ovelha perdida e não esquece as outras não./ Vem, vem, pois é verdadeiro,/ seu amor pela comunidade Brooderville e o mundo inteiro,/ seu amor pela comunidade Brooderville e o mundo inteiro.
- Dom Alfredo aqui estamos para lhe agradecer, pela vossa visita que jamais vamos esquecer. Vem, vem, pois é verdadeiro,/ seu amor pela comunidade Brooderville e o mundo inteiro,/ seu amor pela comunidade Brooderville e o mundo inteiro.
- Nós também os catequistas queremos lhe agradecer/ por suas doces palavras que na fé nos faz crescer/. Vem, vem, pois é verdadeiro,/ seu amor pela comunidade Brooderville e o mundo inteiro,/ seu amor pela comunidade Brooderville e o mundo inteiro.
(ao final da Visita Pastoral)
- Nossa Senhora Aparecida o guiará pelo caminho,/ sempre estará consigo, nunca o deixará sozinho/. Vai, vai, pois é verdadeiro,/ seu amor pela comunidade Brooderville e o mundo inteiro,/ seu amor pela comunidade Brooderville e o mundo inteiro.

quarta-feira, 3 de junho de 2009

ACONTECERÁ EM JUNHO

Neste mês de junho, precisamente nesta semana, nossa comunidade terá vários momentos para se alegrar e agradecer a Deus.
No dia 04/06 às 18 h nosso bispo diocesano, Dom Alfredo Scháffler, fará um visita a nossa comunidade e logo em seguida, às 19 horas presidirá a Santa Missa em nossa Igrejinha. Convidamos todos os cristãos a participarem conosco deste momento de fé e ação de graças.

terça-feira, 2 de junho de 2009

ACONTECERÁ EM JUNHO


Confiram a toda a Programação dos quatro dias de Visita Pastoral de nosso Pastor em nossa Paróquia:

ACONTECERÁ EM JUNHO

No dia 07/06 às 7h30min, também na nossa Igreja-matriz de Ns. Sra de Fátima, Dom Alfredo investirá novos Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão (MESC), bem como renovará a provisão dos MESC já existentes na paróquia. De nossa Comunidade, um renovará a sua provisão (Sr. Alvino) e outro será pela primeira vez investido a este serviço (Hermerson Saulo). Pedimos também as orações de todos os cristãos a fim de que estes irmãos tenham sempre a coragem de levar Jesus Eucarístico aos irmãos idosos/enfermos, bem como, a luz divina para dirigir as Celebrações da Palavra de Deus na comunidade quando da ausência dos ministros ordenados (padres).

ACONTECERÁ EM JUNHO

No dia 06/06 às 17h30min, na nossa Igreja-matriz de Ns. Sra de Fátima, Dom Alfredo crismará inúmeros jovens de nossa paróquia. De nossa comunidade, serão 25 o número de crismandos. Pedimos orações de todos a fim de que estes irmãos realmente se engajem na vida da comunidade.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

ENCERRAMENTO DO MÊS MARIANO

Ontem (31/05) juntamente com a Celebração da Solenidade de Pentecostes teve-se o encerramento do mês mariano com a Coroação da Imagem da Bem-Aventurada Virgem Maria, Rainha dos Apóstoloso. Participaram vários irmãos que demonstraram seu amor para com a Rainha do Céu e da Terra e com certeza tendo participado desta celebração receberam também os dons do Espírito Santo para continuarem a missão iniciada em maio, que foi a reza do Rosário e a escuta da Palavra de Deus em família.
Reconhecer Maria como Rainha é ter ela com exemplo de servidora e todos devemos ser assim, servos uns dos outros, isto é Reinar com Cristo, como disse o Apóstolo São Paulo (2 Tm 2,12)

Leia o finalzinho da Carta Encíclica do Papa Pio XII, "Ad Caeli Reginam" que trata da Festa da Realeza de Maria:

"[...] 44. Dos testemunhos da antiguidade cristã, das orações da liturgia, da inata devoção do povo cristão, das obras artísticas, de toda a parte recolhemos expressões que nos mostram que a virgem Mãe de Deus se distingue pela sua dignidade real; mostramos também que as razões, deduzidas pela sagrada teologia do tesouro da fé divina, confirmam plenamente essa verdade. De tantos testemunhos referidos forma-se uma espécie de concerto harmonioso que exalta a incomparável dignidade real da Mãe de Deus e dos homens, a qual domina todas as coisas criadas e foi elevada aos reinos celestes, acima dos coros dos anjos".
45. Depois de atentas e ponderadas reflexões, tendo chegado à convicção de que seriam grandes as vantagens para a Igreja, se essa verdade solidamente demonstrada resplandecesse com maior evidência diante de todos como luz que brilha mais, quando posta no candelabro, - com a nossa autoridade apostólica decretamos e instituímos a festa de Maria rainha, para ser celebrada cada ano em todo o mundo no dia 31 de maio. Ordenamos igualmente que no mesmo dia se renove a consagração do gênero humano ao seu coração imaculado. Tudo isso nos incute grande esperança de que há de surgir nova era, iluminada pela paz cristã e pelo triunfo da religião.
46. Procurem pois todos, e agora com mais confiança, aproximar-se do trono da misericórdia e da graça, para pedir à nossa Rainha e Mãe socorro na adversidade, luz nas trevas, conforto na dor e no pranto; e, o que é mais, esforcem-se por se libertar da escravidão do pecado, e prestem ao cetro régio de tão poderosa Mãe a homenagem duradoura da devoção dial. Freqüentem as multidões de fiéis os seus templos e celebrem-lhe as festas; ande nas mãos de todos a piedosa coroa do terço; e reúna a recitação dele - nas igrejas, nas casas, nos hospitais e nas prisões - ora pequenos grupos, ora grandes assembléias, para cantarem as glórias de Maria. Honra-se o mais possível o seu nome, mais doce do que o néctar e mais valioso que toda a pedra preciosa; ninguém ouse o que seria prova de alma vil - pronunciar ímpias blasfêmias contra este nome santíssimo, ornado de tanta majestade e venerável pelo carinho próprio de mãe; nem se atreva ninguém a dizer nada que seja irreverente.
47. Com vivo e diligente cuidado todos se esforcem por copiar nos sentimentos e nos atos, segundo a própria condição, as altas virtudes da Rainha do céu e nossa Mãe amantíssima. Donde resultará que os féis, venerando e imitando tão grande Rainha e Mãe, virão se sentir verdadeiros irmãos entre si, desprezarão a inveja e a cobiça das riquezas, e hão de promover a caridade social, respeitar os direitos dos fracos e fomentar a paz. Nem presuma alguém ser filho de Maria, digno de se acolher à sua poderosíssima proteção, se à exemplo dela não é justo, manso e casto, e não mostra verdadeira fraternidade, evitando ferir e prejudicar, e procurando socorrer e dar ânimo [...]"

Para saber mais acesse: http://www.vatican.va/holy_father/pius_xii/encyclicals/documents/hf_p-xii_enc_11101954_ad-caeli-reginam_po.html

OBS.: Com a reforma no Calendário Litúrgico a partir da década de 1970, a Festa de Nossa Senhora Rainha passou para o dia 22 de agosto, 7 dias após a comemoração de sua Assunção ao Céu.

sábado, 2 de maio de 2009

Mês de Maio, Mês de MARIA, mês de todas as Mães

Leia, abaixo, a Carta Encíclica "Mense Maio" do papa Paulo VI sobre o Mês Mariano. Essa carta foi publicada na década de 1960, é ainda atualíssima, pois prevalece ainda hoje o desejo de se alcançar a Paz, através do auxílio de Maria através da oração do Rosário.


Ao aproximar-se o mês de Maio, consagrado a Maria Santíssima pela piedade dos fiéis, o nosso espírito exulta ao pensar no espetáculo comovente de fé e de amor que, dentro em breve, será oferecido em todas as partes da terra em honra da Rainha do céu. Na verdade, é um mês em que, nos templos e entre as paredes domésticas, sobe dos corações dos cristãos até Maria a homenagem mais ardente e afetuosa da prece e da veneração. E é também o mês em que mais copiosos e mais abundantes descem até nós, do seu trono, os dons da misericórdia divina.

Maria, caminho que leva a Cristo.
Muito nos agrada e consola este piedoso exercício, tão honroso para a Virgem e tão rico de frutos espirituais para o povo cristão. Maria é sempre caminho que leva a Cristo. Nenhum encontro com ela pode deixar de ser encontro com o próprio Cristo. E que outra coisa significa o recurso contínuo, a Maria, senão procurar, entre os seus braços, nela, por ela e com ela, Cristo nosso Salvador, a quem os homens, no meio dos desvarios e dos perigos da terra, têm o dever e sentem constante necessidade de dirigir-se, como a porto de salvação e fonte transcendente de vida?

Apelo ao povo cristão
Exatamente porque o mês de Maio nos leva assim a orarmos com maior intensidade e confiança, e porque durante ele as nossas súplicas encontram mais fácil acesso até ao coração misericordioso da Virgem Maria, aprouve aos nossos predecessores escolher este mês consagrado a Maria para incitarem o povo cristão a orações públicas, todas as vezes que o requeriam as necessidades da Igreja ou algum perigo ameaçador que pairasse sobre o mundo. Também nós, Veneráveis Irmãos, sentimos este ano a necessidade de dirigir convite semelhante a todo o mundo católico. Se consideramos as necessidades presentes da Igreja e as condições em que se encontra a paz no mundo, temos sérios motivos de crer que a hora atual tem especial gravidade, e mais que nunca urge dirigir a todo o povo cristão um apelo para que se forme um coro de orações.

[...] a paz do mundo
[...] Como sabeis, Veneráveis Irmãos, ela [a Paz no mundo] é sumamente obscura e incerta, sentindo-se novas ameaças que põem em perigo o bem supremo da paz do mundo. Como se nada tivessem ensinado as experiências trágicas dos dois conflitos que ensangüentaram a primeira metade do nosso século, assistimos hoje à temível exacerbação de antagonismos entre os povos em algumas partes do globo, e vemos a repetição do perigoso fenômeno do recurso à força das armas, e não às negociações, para se resolverem as questões que opõem entre si as partes contendentes. Isto faz que os habitantes de Nações inteiras estejam sujeitos a sofrimentos indizíveis causados por agitações, guerrilhas e ações bélicas, que se vão sempre estendendo e intensificando, e poderão constituir, de um momento para o outro, a centelha de novo conflito pavoroso.

Pedido aos responsáveis pela vida pública: salvaguardar a paz ameaçada
Perante estes graves perigos da vida internacional, Nós, conscientes de nossos deveres de Pastor supremo, julgamos necessário manifestar as nossas preocupações e, ao mesmo tempo, o temor de que os dissídios se venham a tornar tão agudos que degenerem num conflito sangrento. Pedimos, portanto, instantemente, aos responsáveis pela vida pública, que não se mantenham surdos à aspiração unânime da humanidade, que deseja a paz. Façam tudo quanto está em sua mão para salvar a paz ameaçada. Continuem a promover e favorecer colóquios e negociações, a todos os níveis e em todas as ocasiões, no intento de sustarem o recurso perigoso à força, com todas as suas tristíssimas conseqüências materiais, espirituais e morais. Procure-se reconhecer, dentro dos caminhos traçados pelo direito, toda e qualquer aspiração verdadeira e sincera de justiça e de paz, para lhe dar expressão e satisfação, e haja confiança em todos os atos leais de boa vontade, de maneira que prevaleça a causa positiva da ordem sobre a causa da desordem e da ruína.
Infelizmente, nesta situação dolorosa, somos obrigados a reconhecer, com grande amargura, que se esquece muitas vezes o respeito devido ao caráter sagrado da vida humana, e se recorre a sistemas e atitudes que estão em clara oposição com o senso moral e os costumes de povos civilizados. E, a este propósito, não podemos deixar de elevar a nossa voz em defesa da dignidade humana e da civilização cristã, para deplorar os atos de guerrilha e de terrorismo, a tomada de reféns e as represálias contra populações indefesas. Delitos estes que, ao mesmo tempo que fazem retroceder o sentido do que é justo e é humano, exasperam cada vez mais os ânimos dos contendores e podem fechar os caminhos até agora abertos à negociações. Estas, quando francas e leais, deveriam levar a um acordo razoável.
As nossas preocupações, como bem sabeis, Veneráveis Irmãos, são inspiradas não por interesses pessoais, mas unicamente pelo desejo de proteger todos os que sofrem e de promover o bem de todos os povos. E fazemos votos por que a consciência das próprias responsabilidades, diante de Deus e diante da história, tenha força suficiente para levar os Governos a prosseguirem nos seus esforços generosos para salvaguardar a paz, e para afastar quanto possível os obstáculos reais ou psicológicos, que se opõem a um entendimento seguro e sincero.

Conseguir a paz pela oração
Mas a paz, Veneráveis Irmãos, não é pura conseqüência de esforços humanos, é também e sobretudo, dom de Deus. A paz desce do céu; e reinará de verdade entre os homens, quando chegarmos a merecer que ela nos seja concedida pelo Deus onipotente, que tem nas suas mãos tanto a felicidade e a sorte dos povos como os corações dos homens. Por isso nós, com a oração, continuaremos a procurar conseguir este bem insuperável; com a oração constante e vigilante, como sempre fez a Igreja desde os primeiros tempos; com a oração que recorrerá, de modo particular, à intercessão e proteção da Virgem Maria, Rainha da paz.

Acolha, Maria, os pedidos de paz
É para Maria, Veneráveis Irmãos, que se levantam neste mês mariano as nossas súplicas, implorando com maior fervor e confiança as suas graças e os seus favores. E se as graves culpas dos homens pesam na balança da justiça de Deus e provocam os seus justos castigos, sabemos por outro lado que o Senhor é "o Pai das misericórdias e o Deus de toda a consolação" (2Cor 1,3), e que Maria Santíssima foi constituída administradora e dispensadora generosa dos tesouros da sua misericórdia. Ela, que experimentou as penas e as tribulações da terra, o cansaço do trabalho de cada dia, os incômodos e os apertos da pobreza, as dores do Calvário, venha em socorro das necessidades da Igreja e do mundo; acolha benigna os pedidos de paz que a ela sobem de todos os pontos da terra; ilumine os que dirigem a sorte dos povos; consiga que Deus, dominador de ventos e tempestades, acalme também as tempestades dos corações humanos em guerra e "nos dê a paz nos nossos dias", a paz verdadeira, que se funda nas bases sólidas e duradouras da justiça e do amor; justiça igual, tanto para o fraco como para o forte; amor que afaste os tresvarios do egoísmo, de maneira que a salvaguarda dos direitos de cada um não degenere em esquecimento ou negação do direito alheio.

Promover especiais preces Reza do Santo Rosário
E vós, Veneráveis Irmãos, do modo que julgardes mais oportuno, tornai conhecidos aos vossos féis estes nossos votos e a nossa exortação; e tomai as necessárias providências para que, em todas as dioceses e em todas as paróquias, se promovam, durante o próximo mês de Maria, especiais preces, e para que, em particular, a festividade consagrada a Maria Rainha seja dedicada a uma solene súplica em comum pelas intenções acima indicadas. Atribuímos especial valor às orações dos inocentes e dos que sofrem, porque são estas as vozes que penetram, melhor que todas as outras, no céu e desarmam a justiça divina. E, aproveitando a ocasião favorável, não deixeis de inculcar, com a maior insistência, a reza do Santo Rosário, oração tão agradável à Virgem Maria e tão recomendada pelos Sumos Pontífices. Por meio dela, podem os fiéis cumprir, da maneira mais suave e eficaz, a ordem do Divino Mestre: "Pedi e vos será dado; buscai e achareis; batei e vos será aberto" (Mt 7,7).
Com estes sentimentos, esperando que a nossa exortação encontrará prontidão e docilidade nos ânimos de todos, a vós, Veneráveis Irmãos, e a todos os vossos féis, concedemos com todo o afeto a bênção apostólica.

Roma, junto de São Pedro, 29 de abril de 1965, II ano do nosso pontificado


PAULUS PP. VI

PEREGRINANDO COM MARIA


Como já é de costume, ontem, dia 1º de Maio de 2009, iniciamos mais uma peregrinação com a imagem de Nossa Senhora de Fátima, rezando o Santo Rosário com as famílias que irão pernoitar com a imagem da mãe de Jesus e Nossa Mãe. Do dia 1º ao dia 30, serão 25 famílias que gozarão da presença de Nossa Senhora e dos irmãos da comunidade, rezando, agradecendo, intercedendo por um mundo melhor!


Ontem também iniciou o Trezenário de nossa Padroira paroquial, Ns. Sra. de Fátima. Leia abaixo a motivação para a participação neste trezenário:


"Caríssimo irmão e irmã!
Na história do povo de Deus emerge, vigorosamente, a figura dos profetas. Conhecer a vida dos profetas é compreender, sob a luz do ontem, os percalços de hoje, com os olhos fitos no amanhã. Quem conhece o Antigo Testamento, sua história e sua cultura, tem nas mãos importantes ferramentas para entender, interpretar e, sobretudo, viver a boa notícia de Jesus. O profeta é aquele que busca consolar seu povo na hora da crise, mostrando o caminho sociopolítico à luz da vontade de Deus. Ninguém foi mais místico que os profetas, nem teve visão mais cósmica e localizada das causas, conseqüências e soluções dos problemas que afligiam o povo de Deus, que eles.
Os problemas do passado são os mesmos de hoje. A cada dia nascem mais Acab e morrem mais Nabot. Faltam-nos muitos Elias... Ao ler os profetas, cabe a questão: No que os fatos antigos se assemelham aos de hoje? Em Judá e Israel havia fome, miséria, violência, exploração, desrespeito à pessoa e muita idolatria. O que os profetas faziam com coragem e fé em Deus, que nós hoje estamos deixando de fazer?
Com esta motivação convidamos você e sua família para participarem do Festejo de N. Sra. de Fátima com o tema: “Maria gerou justiça e paz, realizando as profecias”. Vai ser uma festa muito bonita. Contamos com sua presença.
Abraços fraternos,
Coordenação da Festa.
* Horário das Missas: 19 h. Diariamente antes das missas: confissões e oração do terço

sábado, 28 de março de 2009

Oração a Santo Isidoro de Sevilha

Santo Isidoro de Sevilha é o padroeiro dos usuários de Internet, portanto rezemos sempre a oração abaixo:


Deus eterno e todo poderoso, que nos criou à sua imagem e semelhança e nos fez procurar tudo que é bom, verdadeiro e belo, especialmente na divina pessoa de Seu Filho unigênito, Nosso Senhor Jesus Cristo, permita-nos que, através da intercessão de Santo Isidoro, bispo e doutor, durante nossas jornadas pela Internet nós dirijamos nossas mãos e olhos apenas ao que é agradável a Vós e tratemos com caridade e paciência todas as almas que encontremos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo. Amém.


P.S.: Para saber mais sobre Santo Isidoro de Sevilha acesse: http://pt.wikipedia.org/wiki/Isidoro_de_Sevilha

quarta-feira, 4 de março de 2009

CATEQUESE - O QUE É?

Clicando sob as imagens vocês lerão um ótimo texto que fala tudo sobre a Catequese (o que é, de quem é a responsabilidade etc.). Muito bom, mesmo!











Essas imagens formam um folder que foi utilizado na Semana Missionária Catequética em nossa paróquia (no período de 25 a 30 de janeiro de 2009), semana esta que serviu para mobilizar as comunidades para se preparem para o Ano Catequético Nacional-2009.



ANO CATEQUÉTICO NACIONAL - 2009 - PARTE 2

  • EXPLICAÇÃO DO CARTAZ DO ANO CATEQUÉTICO:

O autor do cartaz Dirceu Coelho faz a sua interpretação do cartaz, descrevendo o seguinte:
"O fruto da evangelização e da catequese é fazer discípulos".
O discipulado é um caminho a ser construído. A missão de fazer discípulos deve atingir o mundo (forma de globo.) Os dois arcos sinalizam para um caminho que o discípulo é chamado a abraçar: o mundo todo. O caminho a percorrer precisa de corações aquecidos e quem aquece o coração é a Palavra (Bíblia aberta), o gesto de partilha (o pão partilhado - Eucaristia), é Jesus Luz, Caminho (o Círio pascal).
As cores vivas representam que a catequese hoje precisa de nova dinamicidade para entender e responder as perguntas e buscas dos homens e mulheres de hoje.
A ideia do cartaz leva ao [íntimo] do coração às coisas antigas (arco, globo, Bíblia, pão partido, luz), mas ao mesmo tempo aponta para as linhas do mundo pós-moderno, colorido, urbanizado, mundo da informática, mundo que passa a ser o cotidiano dos adultos, jovens e crianças a serem evangelizadas.

  • OBJETIVO GERAL DO ANO CATEQUÉTICO – 2009

O objetivo geral do Ano Catequético é “Dar novo impulso à catequese como serviço eclesial e como caminho para o discipulado”. Isto é, levar à consciência das pessoas de que a catequese é uma dimensão de toda a ação evangelizadora da Igreja e não somente da Pastoral Catequética. A Catequese é direito e dever de todos os batizados.
Catequese não é, portanto, uma ação restrita aos ministros da catequese (os Catequistas), mas é de todo cristão. Com isso, há necessidade de recuperar a concepção de catequese como processo permanente de educação da fé e não somente preparação aos sacramentos ou destinada somente às crianças.
Para que isso ocorra, foi lançado pela CNBB, através da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética, o texto-base para estudo e aprofundamento do Ano Catequético, inspirado na passagem dos Discípulos de Emaús (cf. Lc 24,13-35). Procurem em livrarias católicas este livro para estudarem individualmente ou em grupo, vale à pena estudá-lo!

O texto-base está dividido em três partes. A primeira parte versa sobre a experiência do Encontro dos discípulos com o Ressuscitado. A segunda os discípulos ouve a Palavra do Ressuscitado e a terceira versa sobre a Missão. No partir o pão os discípulos reconhecem o Senhor.


OBS.: Quem mora em na Diocese de Parnaíba pode comprar este livro na Sala da Catequese da Cúria Diocesana em Parnaíba-PI. O funcionamento desta sala é apenas nas terças-feira e procurem Francisca Enos.

ANO CATEQUÉTICO NACIONAL - 2009

Você sabia que 2009 é o Ano Catequético Nacional? Não? Pois fique sabendo... Leia o texto abaixo:

ANO CATEQUÉTICO NACIONAL – 2009*

Hermerson Saulo F. de Farias[1]
Parnaíba-Pi, 17 de janeiro de 2009.

Em 2006, na 44ª Assembleia Geral da CNBB, os bispos do Brasil aprovaram por unanimidade a realização, em 2009, de mais um Ano Catequético Nacional, comemorando os 50 anos do primeiro Ano Catequético e da primeira Semana Brasileira de Catequese, ocorridos em 1959. “A iniciativa é resultado da importância e valorização que a Igreja vem dando á catequese, como ficou expresso no processo de elaboração do Diretório Nacional de Catequese - DNC (2002-2005)”.
A abertura oficial do II Ano Catequético Nacional irá acontecer no Domingo de Páscoa (12/04) e terminará na Festa de Cristo-Rei (22/11). O ponto alto deste ano será a realização da 3ª Semana Brasileira de Catequese[2] que acontecerá de 07 a 12 de outubro do corrente ano em Itaici[3] - Indaiatuba-SP.
O “Ano Catequético” será um momento forte de motivação e convocação para o trabalho de anunciar a Palavra de Deus. O tema proposto para este Ano Catequético é “Catequese, caminho para o discipulado”, seguindo as propostas do Documento de Aparecida. O lema escolhido cita o Evangelho de Lucas (20,32.35): “Nosso coração arde quando Ele fala, explica as Escrituras e parte o pão”.
Como este Ano Catequético se insere no processo de recepção do Documento de Aparecida, seu fio condutor será “formar discípulos missionários de Jesus Cristo para que nEle todos os povos tenham vida” (temática da V CELAM[4]). Ao longo do ano, várias serão as propostas e eventos. Teremos a Campanha da Fraternidade com o tema “Fraternidade e segurança pública” e o lema “A paz é fruto da justiça” (Is 32,17); os influxos do Sínodo dos Bispos realizado em outubro de 2008, com o tema “A Palavra de Deus na vida e na missão da Igreja”; também estaremos vivendo o ano dedicado a São Paulo, que começou em 28 de junho de 2008 e encerra-se em 29 de junho de 2009, onde este será um momento para recordar e celebrar o segundo milênio do nascimento do Apóstolo dos Povos (das Gentes, dos Gentios); no mês da Bíblia de 2009, teremos um estudo da Carta de São Paulo aos Filipenses com o tema “A alegria de servir no amor e na gratuidade” e o lema “Tende em vós os mesmos sentimentos de Jesus Cristo”.
Ainda em 2009, celebramos o 30º aniversário da Exortação Apostólica de João Paulo II, Catechesi Tradendae, que fala sobre a Catequese do nosso tempo (1979), e da III CELAM realizada em Puebla-México cujo tema debatido foi: “O presente e o futuro da Evangelização na América Latina”.
A catequese tem como objetivo levar o catequizando à prática da Vida Cristã na Comunidade. Por isto, o Ano Catequético estará também em sintonia com o 12º Intereclesial das CEBs, a acontecer em Julho de 2009, em Porto Velho-RO que discutirá o tema: “Cebs: ecologia e missão”.



* Texto produzido para uma Formação Catequética em preparação para Semana Catequética Missionária a ser realizada na Paróquia de N. Sra. de Fátima entre os dias 25 a 30 de janeiro de 2009.

[1] Catequista há cinco anos da Comunidade Nossa Senhora da Conceição Aparecida – Brooderville, Parnaíba-PI. E-mail: saulofarias@ig.com.br ou saulofonteles@hotmail.com .

[2] A 1ª Semana Brasileira de Catequese-SBC teve como tema/lema: “Fé e Vida em Comunidade: renovação da Igreja, transformação da sociedade”. A 2ª SBC aconteceu em outubro de 2001. O tema que mobilizou o Brasil foi: "Com Adultos, Catequese Adulta" e o lema: “Crescer rumo à maturidade em Cristo".

[3] Itaici é um bairro da cidade de Indaiatuba-SP Neste bairro, localiza-se a casa de retiro dos jesuítas, Vila Kostka, onde anualmente os bispos fazem seu Retiro e realizam as Assembleias Gerais.

[4] CELAM = Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e Caribenho.

terça-feira, 3 de março de 2009

HISTÓRICO DA COMUNIDADE

Caríssimos irmãos-em-Cristo!

Abaixo, vai um texto produzido pelo catequista Hermerson Saulo em 07/03/2008 que apresenta todo o histórico dessa comunidade, histórico este, feito graças ao Livro de Atas da comunidade e da Memória viva dos irmãos que participam ativamente das ações desta comunidade. Vejam!

Histórico da Comunidade Nossa Senhora Aparecida - Brooderville


"No fim da década de 1970, o engenheiro Roberto Brooder inicia as obras de construção do que é hoje o Conjunto Brooderville, no entanto devido a descasos, as casas ficaram por anos abandonadas. Porém, na década de 1980, ele começou a ser povoado...

Na segunda metade da década de 1980, a Srª. Almira Silva, primeira-dama municipal observou a presença de uma pequena população no conjunto - muitos haviam invadido algumas casas – então, ela lutou até conseguir o Termo de Posse de algumas casas e doou-as a alguns moradores. Isso deu mais segurança a eles.

Depois de alguns anos, o conjunto foi absorvendo mais pessoas e também foram melhorando as condições de vida, hoje se tem: água, luz, telefone e transporte coletivo.

No início da década de 1990, o conjunto tinha “tudo”, menos uma casa onde todos os irmãos-em-Cristo pudessem se encontrar e louvar a Deus. Foi aí que o Sr. Antônio Lucas e outros moradores foram pedir na Paróquia de São Sebastião, um padre para vir celebrar missas na comunidade que estava se desenvolvendo. O pedido foi negado, pois nossa comunidade está situada em território de jurisdição da Paróquia de N. Srª. de Fátima, então foram fazer a solicitação nessa paróquia, onde o pedido foi aceito, no entanto nenhum padre apareceu. Depois de algum tomaram a iniciativa de virem na comunidade.

Depois de irem às paróquias, o Sr. Antônio Lucas estava conversando com um morador e este disse que tinha um parente que se ordenara padre, seu nome era Pe. Antônio Edson e este estava vindo passar férias aqui em Parnaíba e acrescentou que poderia pedir que ele viesse rezar uma missa no conjunto. Fato que ocorreu em 30/08/1990.

Alguns dias depois, o Pe. Antônio Edson e alguns moradores foram pedir ao prefeito municipal, o Sr. Antônio José de Moraes Souza - “Mão Santa”, um terreno para poder ser construída uma capela, para se celebrar as festividades da Igreja. O terreno é doado (Lei nº. 1.338/91). E, o Pe. Edson todos os meses vinha de Teresina para rezar as missas e realizar batizados. A população pagava suas passagens. Quase um ano depois, algo de estranho ocorreu, descobre-se a presença de um padre da Igreja Católica Apostólica Brasileira - ICAB[1] atuando na Diocese de Parnaíba, e adivinha quem era ele?! Isso mesmo, Pe. Antônio Edson. Como a ICAB usa quase os mesmo ritos da Romana, foi fácil dele enganar toda a população, foram vários os que foram batizados e fizeram Primeira Comunhão. Tendo conhecimento disso, Pe. Edson nunca mais aparece na comunidade.

Pe. Thiago, Missionário Redentorista e pároco da Igreja de N. Srª. de Fátima, passa a visitar o conjunto e celebrar missas. Batiza novamente as pessoas que foram batizadas pelo o outro padre. E realiza durante alguns anos várias festividades na comunidade. As celebrações eram realizadas numa “palhoçinha”.
E como surgiu o nome de Comunidade de N. Srª da Conceição Aparecida? Foi assim: Em abril de 1991 um grupo da comunidade estava reunido para escolherem o padroeiro (a) da comunidade, quando já estavam por escolher como padroeira Santa Terezinha, apareceu na reunião uma criança de nome Natanael, que era filho de D. Conceição, agora ex-moradora do conjunto. Ele trazia nas mãos uma medalha de ouro com o vulto de N. Sr.ª Aparecida, que ele havia encontrado ao capinar. Então, não se pensou duas vezes, Maria, Mãe de Deus e da Igreja, queria fazer morada na comunidade e assim é até hoje.

Depois da reunião de escolha do padroeiro, houve uma outra, agora, para elaborar um projeto de construção da Capela. A população saiu pelas lojas da cidade e arrecadaram alguns prêmios que puderam fazer um “Bingão”. Esse bingão e mais um outro bingo apurou R$ 512,00 (quinhentos e doze reais). Com esse dinheiro e mais 5.000 tijolos que foram doados, deram-se início à obra. E em 12 de outubro de 1995, com uma missa campal celebrada por Pe. Alberto foi inaugurada a capela.

A capela foi construída em direção aos fundos da Escola Municipal Mons. Antônio Sampaio e ficou assim por alguns anos até que no ano 2000, algumas pessoas acharam melhor, já que a rua dos fundos estava pavimentada, se a capela tivesse sua frente para essa rua. Então, foi perguntada a toda a comunidade se aprovavam a mudança e todos aceitaram, daí então, com a ajuda do Pe. Ricardo a comunidade mobilizou-se vendendo picolés, fazendo quermesses a fim de angariar fundos para a reforma da capela. A comunidade apurou R$ 711,00 (setecentos e onze reais) que foram entregue ao Pe. Ricardo e este com verbas oferecidas por amigos no exterior construiu em tempo bem rápido a nova capela. E, em 24 de junho de 2001 às 20h00min, Pe. Ricardo D’Lahunte celebra a missa inaugural.

Com a ida dos padres Alberto e Ricardo em 2002, para continuarem sua missão como disse Jesus: “vão por todo o mundo e anunciai a boa nova” (Mc 16,15), a Paróquia acolhe Pe. Mateus, Pe. Cristóvão, Pe. Dionísio e Pe. Francisco Antônio, que cedo conquistaram o coração de todos os paroquianos.

Em 2006, assim como ocorreu em 1994 e 1999 as “Santas Missões Populares Redentoristas”, agora, porém, bem mais participativa houve, que teve como missionários visitantes: Pe. Carlos Aberto, Pároco de Nazária-PI, Seminarista Nairton, do Ceará, e os leigos Fernando, de Ilha Grande e Rita, da Paróquia de S. Sebastião-Parnaíba, todos deixaram muitas saudades. Com estas Santas Missões percebeu-se uma maior participação da comunidade na Igreja.

Durante anos sonhava-se com a presença permanente de Cristo-Eucarístico na capela da comunidade. Em 2007, começou-se cada vez a inquietar essa idéia, foi aí que em 01 de maio de 2007, o Sr. Alvino Fontenele, esposo da coordenadora comunitária, D. Carlota, convoca a todos os que estavam presente num café-comunitário para abrir as festividades de Maio (Mês Mariano), à juntos colaborem com a construção de uma capela para o Santíssimo Sacramento. Todos os presentes se comprometeram e foi a partir desta reunião que logo se iniciou mais esta construção. Tudo foi feito com muito amor e dedicação. Vários homens e mulheres contribuíram com o que puderam. Foi uma verdadeira partilha. Em 22 de julho de 2007, numa missa às 17h30min, o então Pároco, Pe. Mateus O’Sullivan, inaugura a capela, que ainda não possuía um tabernáculo (sacrário).

Em agosto de 2007, Pe. Mateus vai embora. A paróquia fica agora com a responsabilidade dos padres diocesanos. Pe. Carlos Alberto Seixas de Aquino toma posse da paróquia como pároco e como vigários assumiram os padres Ronaldo e Roberto.

O então pároco, vendo os apelos da comunidade pelo sacrário, adquire em Teresina um lindo sacrário que foi comprado juntamente com o bispo diocesano de Parnaíba, Dom Alfredo Scháffler. Numa missa realizada em 23 de dezembro de 2007, o pároco traz o sacrário para a comunidade, porém Jesus-Eucarístico não pôde ficar na capela por não ter ainda a âmbula (alfaia litúrgica onde se guarda as hóstias-consagradas).

Em fevereiro a comunidade adquire uma âmbula e um cálice e comunica ao pároco. Numa missa, em 24 de fevereiro de 2008, a comunidade comemora a bênção da Capela do Santíssimo Sacramento. A partir desse dia Jesus está presente permanentemente na comunidade através da Eucaristia, esperando ser adorado por todos.

Durante toda essa caminhada hoje, a capela conta com alguns grupos pastorais: Conselho Comunitário, Equipe de Liturgia, Catequese inicial e crismal, Pastoral do Dízimo etc.

Os acontecimentos marcantes da comunidade são além da celebração da Santa Missas, que acontecem apenas nas 1ª quartas-feiras e no 4º domingo de cada mês: são as peregrinações do mês Mariano (maio) e o Novenário da Padroeira no mês de outubro de cada ano.

A comunidade é jovem, ainda tem muito a crescer e mostrar como se pode e deve-se viver como a “Primeira Comunidade Cristã” (At 2,42-47), onde lá tinham tudo em comum e praticavam uma vida de oração e doação. Este crescimento acontecerá quando se estiver seguindo verdadeiramente Deus como Princípio e Fim de toda a vida e, tendo Maria como mãe e conselheira.


Parnaíba-PI, 07 de março de 2008.
Hermerson Saulo F. de Farias

[1] Congregação dissidente da Igreja Católica Apostólica Romana. Foi criada em 1945 por Dom Carlos Duarte Costa
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...