quinta-feira, 31 de maio de 2012

Festa de Encerramento da peregrinação mariana na comunidade - 2012

Na noite de ontem, 30, os fiéis que acompanhavam as duas imagens peregrinas de Nossa Senhora de Fátima, se reuniram na Rua A do Conj. Broder Ville e foram em direção à Capela da comunidade onde rezaram o Rosário, ouviu-se a Palavra de Deus e coroou-se a imagem de Nossa Senhora. Com esse momento de fé, encerrou-se na comunidade as peregrinações do mês mariano/2012. Durante todo o mês rezou-se pela Paz nas famílias e pela Grande Semana Missionária a realizar-se de 23 a 30 de setembro, próximo. 
A festa de encerramento do mês mariano na comunidade foi belíssima. A liturgia da coroação da imagem de Nossa Senhora foi preparada e executada pelo Grupo de Jovens "Guerreiros de Cristo". Parabéns, jovens, pela belíssima apresentação!
Hoje, 31, às 17h30 os irmãos ainda sairão em caminhada para a Matriz de Frei Galvão, no Conj. Joaz Souza, para participarem da Santa Missa de encerramento desse mês missionário/mariano em nível paroquial.
Nossos agradecimentos a todas as famílias que acolheram os irmãos em suas casas durante as celebrações e também as imagens peregrinas de Nossa Senhora!
Confira imagens do momento:

terça-feira, 29 de maio de 2012

“Discípulos e missionários de Jesus Cristo, para que nEle nossos povos tenham vida: Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida”

Pe. Marcos Francisco
Foto: Proparnaíba
Irmãos e irmãs, já se passaram cinco anos do grande encontro ocorrido em Aparecida. Lá a Igreja quis relembrar sobre um ponto fundamental para todo cristão: a partir do Batismo todos nós somos missionários. Por isso, em nossa diocese estamos vivenciando as Santas Missões Populares (SMP). Depois de Aparecida, cada diocese procurou colocar em prática as sugestões lá propostas e as Santas Missões Populares foram um meio concreto para experimentarmos nossa vocação missionária. 
No entanto, não podemos esquecer que, antes de sermos missionários, precisamos ser discípulos de Jesus Cristo. Ele, antes de enviar os Apóstolos em missão, chamou-os primeiro a permanecer com Ele. De fato, se não aprendemos antes com o Mestre, se não O conhecemos, o que iremos levar às outras pessoas. Enquanto missionários, em primeiro lugar não apenas repassamos ensinamentos ou doutrinas para outras pessoas. Isso é importante, porém, precisamos levar a todos os irmãos e irmãs que nos rodeiam mais que uma ideia apenas, mas uma Pessoa, Jesus Cristo, o Caminho, a Verdade e a Vida. 
Um grande número de missionários provavelmente uma paróquia possa facilmente ter. Mas, para que haja profundidade e perseverança na missão é preciso, antes de tudo, que haja verdadeiros discípulos de Jesus, ou seja, pessoas que buscam em primeiro lugar ter um encontro pessoal com Ele. Provavelmente este seja o nosso desafio. 
Muitos querem ser missionários, mas todos querem ser discípulos? De modo concreto como se vivencia o discipulado? O próprio Documento de Aparecida fala dos lugares do encontro com Cristo. Logicamente, se Ele não é apenas uma doutrina, mas uma Pessoa, então pode ser encontrado. Mas onde? Por exemplo, um dos lugares do encontro de Cristo é na Eucaristia. O missionário que não tem a sua vocação cristã ancorada numa vivência eucarística irá anunciar o que, se a Eucaristia deixada pelo próprio Cristo é a presença d’Ele mesmo para nós. Desta forma fica uma reflexão para nós: em nossos encontros, retiros missionários, retiros de grupos etc... incluímos em nossa programação momentos que proporcionem um maior crescimento de nossa fé e amor na Eucaristia? Ou ainda estamos estacionados na periferia do mistério? 
Assim, com base nisto, não deixemos de recordar sempre as duas dimensões do cristão: o ser discípulo e missionário. Não esqueçamos também que é Nele, em Jesus Cristo, que se apoia o sentido da missão e para isso precisamos, antes de tudo, como diz o primeiro objetivo das SMP em nossa diocese buscar favorecer uma experiência pessoal com Jesus que está vivo e real na Eucaristia, alimento dos verdadeiros discípulos missionários.

Oração, Objetivos e logotipo das SMP
na Diocese de Parnaíba
Pe. Marcos Francisco Amorim 
Vigário cooperador na Paróquia Santa Ana, em Parnaíba-PI 

FONTE: Facebook do padre.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Patronos e Intercessores da JMJ Rio-2013

Na noite de ontem, 27 de maio, Solenidade de Pentecostes, do alto do Santuário de Nossa Senhora da Penha, um dos grandes pontos de devoção da cidade do Rio de Janeiro, apareceram os rostos dos santos e beatos que ajudarão a todos os que estarão na Jornada Mundial da Juventude Rio2013 a trilhar o caminho da santidade. Foram escolhidos cinco patronos e 13 intercessores.
Os patronos ou pais espirituais são Nossa Senhora da Conceição Aparecida, São Sebastião, Santo Antônio de Santana Galvão, Santa Teresa de Lisieux, e Beato João Paulo II.
Como modelos para a juventude estão os intercessores Santa Rosa de Lima, Santa Teresa de Los Andes, Beata Laura Vicuña, Beato José de Anchieta, Beata Albertina Berkenbrock, Beata Chiara Luce Badano, Beata Irmã Dulce, Beato Adílio Daronch, Beato Pier Giogio Frassati, Beato Isidoro Bakanja, Beato Ozanam, São Jorge e Santos André Kim e companheiros.
A cerimônia de lançamento dos patronos e intercessores teve início com a oração do terço na Igreja do Bom Jesus da Penha. Os fiéis seguiram de lá em procissão até o Santuário da Penha, onde o presidente do Comitê Organizador Local (COL) da JMJ Rio2013 e arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, presidiu a missa de Pentecostes.
Na homilia Dom Orani destacou que os patronos e intercessores foram homens e mulheres que durante suas vidas, em diferentes continentes do mundo e em diversos momentos da história, se deixaram conduzir pelo Espírito Santo.
Ele lembrou que eles deveriam ser sinais para todos, em especial para os jovens, de que é possível viver o amor e de pessoas que deram suas vidas por causa do Evangelho.
"Colocamos nas mãos de Deus e de Maria, dos patronos e intercessores, todos os jovens que virão ao Rio de Janeiro", disse o arcebispo. Ele completou dizendo que a diversidade vivida na Jornada, todas as línguas que serão faladas aqui não serão empecilho para a convivência fraterna e que é possível vivermos na unidade. "Quando os jovens voltarem para suas pátrias ou cidades eles serão testemunhas alegres do Senhor", concluiu.
Ao final da celebração, que também marcou o encerramento do mês mariano na Arquidiocese do Rio, foram coroadas as imagens do Menino Jesus e de Nossa Senhora da Penha.
Nossa padroeira de comunidade (N. Sra. Aparecida) e nosso padroeiro paroquial (S. Frei Galvão) foram dois dos escolhidos para serem patronos dessa Jornada!

Conheça um pouco dos patronos e intercessores da XXVIII JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE:

PATRONOS:

NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO APARECIDA
No ano 1717, três pescadores, ao lançarem a sua rede para pescar nas águas do rio Paraíba, encontraram a imagem de Nossa Senhora da Conceição. Devido aos muitos milagres realizados e aumento da devoção foi proclamada padroeira do Brasil em 1930 e anos depois foi erguida, em sua homenagem, uma grande basílica que acolhe milhões de peregrinos todos os anos. A JMJ a invoca como Protetora da Igreja e das famílias! 


Oração: Mãe de Deus e Senhora minha, rogai incessantemente por minha família que hoje consagro a vós! Amém. 

domingo, 27 de maio de 2012

Santa Hildegarda e São João d'Ávila serão Doutores da Igreja

O Papa Bento XVI anunciou na manhã deste domingo de Pentecostes, 27 de maio, que no próximo dia 7 de outubro, 27º Domingo do Tempo Comum, proclamará o 34º e 35º doutores da Igreja o espanhol São João d’Ávila e (1499-1569) e a alemã Santa Hildegarda de Bingen (1098-1179).
S. João d'Avila
Foto: Wikipédia
Durante a oração mariana do Regina Coeli na Praça São Pedro, diante de 40 mil pessoas, o Pontífice definiu estes dois religiosos como “duas grandes testemunhas” da fé, que viveram períodos históricos e ambientes culturais bastante diferentes: 
“João, sacerdote diocesano nos anos do Renascimento espanhol, participou da árdua tarefa de renovação cultural e religiosa da Igreja e da unidade social nos os albores da modernidade” – disse, explicando que “Hildegarda foi uma monja beneditina vivida no coração da Idade Média, autêntica mestre de Teologia e profunda estudiosa de ciências naturais e música”. 
Para Bento XVI, “a santidade da vida e a profundidade da doutrina destes dois santos os fazem perenemente atuais”, principalmente à luz do projeto de nova evangelização, ao qual será dedicada a próxima XIII Assembleia Ordinária do Sínodo dos Bispos, que se inaugura precisamente em 7 de outubro.
S. Hildegarda
Foto: Wikipédia
No dia 20 de agosto do ano passado, durante a Jornada Mundial da Juventude, em Madri, o papa já havia prometido proclamar S. João d'Ávila doutor da Igreja.
Ainda durante o Regina Coeli, Bento XVI recordou que viajará na próxima sexta-feira para Milão (norte da Itália), por ocasião do VII Encontro Mundial das Famílias, e convidou os fiéis que participaram da oração dominical na Praça São Pedro ou através dos meios de comunicação, a acompanharem o evento e a rezarem por seu êxito. 
Após a oração, o Papa rezou o Pai Nosso, fez saudações em várias línguas, e concedeu a benção apostólica a todos os fiéis.
O beato papa João Paulo II, em 1997, proclamou a 33ª doutora da Igreja: Santa Teresa de Lisieux - Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face. Agora, 15 anos depois o Santo Padre Bento XVI proclamará mais 2 doutores - mestres de fé da Igreja! 
Para saber mais sobre todo os santos doutores da Igreja, acesse um verbete da Wikipédia, aqui!
Que estes santos doutores nos ajudem a sempre amar a Cristo e sua Igreja!
Louvado seja Deus!

Texto adaptado de: Rádio Vaticano.

57º aniversário de morte do 1º Administrador Diocesano de Parnaíba

Neste dia rezemos por Dom Severino Vieira de Melo que foi o 1º Administrador Diocesano da Diocese de Parnaíba e Oeiras, ambas criadas em 14/12/1944 pela Bula “Ad Dominici Gregis Bonum”. Dom Severino administrou nossa diocese de 08 de setembro de 1945 (data da instalação canônica da Diocese de Parnaíba) a 7 de fevereiro de 1946 quando o papa Pio XII elegeu Dom Felipe Benito Candurú Pacheco como 1º bispo diocesano de Parnaíba.
Dom Severino foi um bispo muito querido pelo povo piauiense e veio a falecer na Sé Arquiepiscopal de Teresina a 27 de maio de 1955. Até 17 de novembro de 2011 estava sepultado próximo ao altar-mor da Catedral de N. Sra. das Dores (Pç. Saraiva), em Teresina, quando foram transladados seus restos mortais para a Capela de N. Sra. do Carmo erigida no governo dele e que agora serve para receber os restos mortais de todos os arcebispos de Teresina!
Que Dom Severino, lá do Céu vele pelo Rebanho do Senhor na Diocese de Parnaíba e na Arquidiocese de Teresina onde foi 1º arcebispo metropolitano!
Mais informações sobre nosso 1º administrador diocesano, acesse a página: Diocese de Parnaíba.

sábado, 26 de maio de 2012

O sopro do Espírito

Sessão do Concílio Vaticano II
Em outubro vamos comemorar os 50 anos de abertura dos trabalhos do Concílio Ecumênico Vaticano II. Convocado pelo papa João XXIII com o objetivo de abrir as portas da Igreja para o mundo, o Vaticano II representou uma radical mudança para a Igreja Católica. Esta mudança só foi possível porque os bispos conciliares deram voz ao Espírito Santo, deixando que Ele os guiasse pelos caminhos do necessário “aggiornamento”. Por isso cada um dos 16 documentos do Concílio termina com a afirmação: “nós, no Espírito Santo, o aprovamos, decretamos e estatuímos”. Para resgatar as inspirações do Vaticano II, Bento XVI proclamou o Ano da Fé que começa em outubro e tem várias programações previstas para 2013.
Cientes de que vivemos num mundo onde as mudanças se dão de forma muito rápida, precisamos, a exemplo dos padres conciliares, nos confiar ao Espírito Santo para que nos mostre “os caminhos por onde deveremos andar”. E é aí que ganha importância a festa do Pentecostes que comemoramos neste final de semana.
No Pentecostes fazemos memória da vinda do Espírito Santo sobre os apóstolos reunidos no cenáculo e celebramos a sua presença contínua na caminhada da Igreja. É o Espírito Santo que propicia o entendimento entre as pessoas e fortalece os laços da unidade. Através do seu sopro vivificador renova as pessoas e as desperta ao amor e à caridade. Foi o Espírito Santo que deu coragem aos apóstolos para que pudessem realizar sua missão no começo do cristianismo e sustentou a Igreja ao longo dos séculos. É Ele que ilumina as lideranças para que sigam na missão de “anunciar o evangelho a toda criatura”.
Dom Canísio
O Espírito Santo está presente em toda atividade da Igreja, auxiliando-a a adaptar a mensagem cristã às “línguas e linguagens” de nossos dias, para que todos possam ouvir falar do Evangelho na própria língua, na própria experiência cultural. Sua ação consiste em ajudar a Igreja a anunciar sem medo a Verdade através do Evangelho. Por isso, todo aquele que acolhe o Espírito de Deus em sua vida possui a força e a coragem de testemunhar Jesus Cristo como a Verdade, o Amor e a Vida. Quem tem o Espírito de Deus em si não se intimida e nem se envergonha de testemunhar a fé em Deus e se apresentar como discípulo e discípula de Jesus Cristo.
Que o Espírito Santo renove, anime e fortaleça nossas famílias, comunidades, paróquias e Diocese. Que Ele nos provoque com seu sopro para que, a exemplo do que aconteceu no Concílio Ecumênico Vaticano II, consigamos superar as barreiras das divisões e nos unir na construção de uma sociedade de justiça, amor e paz. Para isso, pedimos: “Vinde Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do Vosso Amor”!


Dom Canísio Klaus
Bispo de Santa Cruz do Sul (RS)

Fonte: CNBB.

Venha participar conosco da Santa Missa neste domingo de Pentecostes, 27 de maio, às 19 h em nossa capela! Venha renovar os votos que fizeste em sua Crisma! 
Sejamos testemunhas autênticas de Cristo com a força do Espírito Santo!

Pentecostes e Confirmação

No domingo de Pentecostes, em nossa Arquidiocese é tradição celebrarmos na Catedral a Crisma de jovens representando todos os vicariatos. É um sinal muito belo, pois Crisma e Espírito Santo estão muito unidos, porque consideramos este sacramento como um Pentecostes na vida das pessoas e da comunidade.
Dom Orani
Ao celebrarmos os sacramentos da iniciação cristã, Batismo, Crisma e Eucaristia, temos certeza de que as etapas dessa caminhada na vida do catequizando marcam sua vida e história.
No Batismo celebrado naquela solene Vigília Pascal – mãe de todas as vigílias – somos banhados na água para uma vida nova, enxertados em Cristo Videira e herdeiros do céu. No sacramento da Crisma, já renascidos na água, enxertados em Cristo, somos ungidos com o Espírito que nos dará a “força” necessária para sermos enviados como entusiastas evangelizadores. Se no Batismo somos chamados à vida cristã e ao discipulado, na Crisma somos chamados a ser apóstolos e missionários para dar vida ao mundo, ser sal da terra, luz do mundo, e “produzir muitos frutos, e este fruto permaneça”. (Jo 15,16)
Assim, compreendemos melhor a estreita ligação entre o Sacramento da Confirmação à Solenidade de Pentecostes. Afinal, é em pentecostes que a Igreja reunida celebra o dom de Deus, que é o Espírito Santo, que é Deus com o Pai e o Filho. Não é menor e nem maior, e apesar das missões serem distintas, em perfeita comunhão estão sempre a nos oferecer a salvação como um dom, e a participação nos seus mistérios. 
Sendo o Espírito Santo Deus, é também Espírito de Verdade, de Alegria, de Coragem. Ora, o Espírito Santo é o Deus que nos acompanha, nos ilumina e nos dá força, e que está presente no mais profundo de nosso ser dando sabor às coisas do alto, fazendo-nos compreender a mensagem de Jesus. 
O Espírito Santo nos concede a graça da unidade em meio a Babel, o dom da fé e da sabedoria e nos enche de santa ciência. Por isso, Jesus quis que todos aqueles que acreditassem Nele e quisessem seguir as suas palavras e seus ensinamentos tivessem junto de si esse “aliado invisível”, que fortalece e impulsiona no testemunho de Jesus Cristo Ressuscitado.
Assim, se o período pascal se inicia dando grande ênfase ao Batismo, nada mais coerente que encerrá-lo dando ênfase ao sacramento da Crisma, levando em consideração que o que une esses dois sacramentos é verdadeiramente Cristo, o Ressuscitado que nesses cinquenta dias celebramos em sua vitória sobre a morte. 
Por isso, é oportuno destacar que o Rito do Sacramento da Confirmação inicia justamente com a Renovação das Promessas do Batismo, e que agora serão feitas não mais pelos pais e padrinhos, mas pelo próprio cristão, agora responsável pelas respostas e assumindo como adulto sua vida católica.
Assim se refere o Concílio Vaticano II sobre o que significa a Crisma: “pelo sacramento da Confirmação os fiéis são vinculados mais perfeitamente à Igreja, enriquecidos de força especial do Espírito Santo, e assim mais estritamente obrigados à fé que, como verdadeiras testemunhas de Cristo, devem difundir e defender tanto por palavras como por obras”. (Constituição dogmática Lumen Gentium 11)
Igreja reunida, o Bispo como ministro da Confirmação, após a renovação das promessas batismais e da oração pedindo os dons do Paráclito sobre os crismandos, procederá à unção com o óleo dizendo: “Recebe o Espírito Santo, dom de Deus!”. É necessário acolhermos de corações abertos esse “dom” e consequentemente colocarmos em prática através de uma nova vida essa grande graça. E acolher com a vida aberta, sem medo de deixar-se conduzir pelo Espírito Santo, sempre dispostos a ir aonde Ele nos mandar!
Com a Igreja, rezemos nesses dias em que nos aproximamos da Solenidade de Pentecostes: “Vinde, Espírito Santo, enchei os corações de vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor! Vinde e renovai a face da terra... Vinde e renovai a nossa vida, o nosso coração!”

† Orani João Tempesta, O. Cist.
Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Papa abençoa cruz que peregrinará o mundo

A edição desta quarta-feira (23/05) do jornal vaticano L'Osservatore Romano informou que antes de iniciar a audiência geral de ontem, 23, na Praça São Pedro, o Papa Bento XVI abençoou uma grande cruz de madeira que percorrerá as capitais do mundo para celebrar no ano 2033 os 2 mil anos da Ressurreição de Cristo. A cruz mede quatro metros de altura e é um “sinal de gratidão a Deus”. O símbolo já percorreu a Ucrânia, Polônia, Lituânia, Letônia, Estônia, Finlândia, Noruega, Dinamarca, Suécia, Alemanha, Islândia, França, Países Baixos, Bélgica, Áustria, Hungria, Eslováquia e República Tcheca. 
A iniciativa partiu de um grupo de fiéis ucranianos da localidade de L’viv. De 1918 a 1941 foi uma cidade polonesa e de 1941 a 1944 da Alemanha. Sua passagem à Ucrânia se deu em 1945. Em sua passagem por Roma, a cruz já esteve nas quatro basílicas papais: São Pedro, São João de Latrão, Santa Maria Maior e São Paulo fora dos Muros. Agora retomará o seu percurso ao redor do mundo inteiro. L'Osservatore Romano assinala ainda que “esta iniciativa tem um valor ecumênico” como a do Padre Vladimiro Timoshenko, Pároco dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo, na Rússia, que apresentou ao Papa o ícone de São Olaf para sua bênção. A imagem será colocada na igreja em substituição a um antigo ícone que foi destruído.

DIA DE ORAÇÃO PELA IGREJA CATÓLICA NA CHINA

A Igreja celebra hoje, 24 de maio, a memória litúrgica de Nossa Senhora Auxiliadora, venerada com grande devoção pelos católicos chineses no Santuário de Sheshan, em Xangai. Há cinco anos por disposição do Santo Padre em sua Carta aos Católicos da China (2007), esta jornada é celebrada em todo o mundo como Dia de Oração pela Igreja na China. Recordando-o, domingo passado, 20, ao meio-dia, Bento XVI encorajou a Igreja universal a "participar mais no caminho da Igreja que está na China": “Unimo-nos na oração a todos os católicos que estão na China, para que anunciem com humildade e com alegria Cristo morto e ressuscitado, sejam fiéis à sua Igreja e ao Sucessor de Pedro e vivam o dia a dia de modo coerente com a fé que professam. Que Maria, Virgem fiel, apoie o caminho dos católicos chineses, torne a sua oração cada vez mais intensa e preciosa aos olhos do Senhor e faça crescer o afeto e a participação da Igreja universal no caminho da Igreja que está na China”.
No ano passado o Santo Padre disse: “Os fiéis que estão na China oram para que haja unidade entre eles e, sempre mais, para com a Igreja Universal, enquanto os católicos do mundo inteiro – especialmente os de origem chinesa – se unem a eles na oração e na caridade, que o Espírito infunde nos corações”. (Oração mariana do Regina Coeli - 23 de maio de 2011).

Reze a Oração do Santo Padre a Nossa Senhora Auxiliadora de Sheshan:

Virgem Santíssima, Mãe do Verbo encarnado e Mãe nossa,
venerada com o título de «Auxílio dos cristãos» no Santuário de Sheshan,
para o qual, com devoto afecto, levanta os olhos toda a Igreja que está na China,
vimos hoje junto de Vós implorar a vossa protecção.
Lançai o vosso olhar sobre o Povo de Deus e guiai-o com solicitude materna
pelos caminhos da verdade e do amor, para que, em todas as circunstâncias, seja fermento de harmoniosa convivência entre todos os cidadãos.

Com o «sim» dócil pronunciado em Nazaré, Vós consentistes
que o Filho eterno de Deus encarnasse no vosso seio virginal
e assim desse início na história à obra da Redenção,
na qual cooperastes depois com solícita dedicação,
aceitando que a espada da dor trespassasse a vossa alma,
até à hora suprema da Cruz, quando no Calvário permanecestes
de pé junto do vosso Filho, que morria para que o homem vivesse.

Desde então tornastes-Vos, de forma nova, Mãe
de todos aqueles que acolhem na fé o vosso Filho Jesus
e aceitam segui-Lo carregando a própria Cruz sobre os ombros.
Mãe da esperança, que na escuridão do Sábado Santo caminhastes,
com inabalável confiança, ao encontro da manhã de Páscoa,
concedei aos vossos filhos a capacidade de discernirem em cada situação,
mesmo na mais escura, os sinais da presença amorosa de Deus.

Nossa Senhora de Sheshan, sustentai o empenho de quantos na China
continuam, no meio das canseiras diárias, a crer, a esperar, a amar,
para que nunca temam falar de Jesus ao mundo e do mundo a Jesus.
Na imagem que encima o Santuário, levantais ao alto o vosso Filho,
apresentando-O ao mundo com os braços abertos em gesto de amor.
Ajudai os católicos a serem sempre testemunhas credíveis deste amor,
mantendo-se unidos à rocha de Pedro sobre a qual está construída a Igreja.
Mãe da China e da Ásia, rogai por nós agora e sempre. Amen.


 Adaptado de: Rádio Vaticano

domingo, 20 de maio de 2012

MENSAGEM DO PAPA BENTO XVI PARA O 46º DIA MUNDIAL DAS COMUNICAÇÕES SOCIAIS

Na Festa da Ascensão do Senhor, a Igreja do Brasil, celebra o "Dia Mundial das Comunicações Sociais" em consonância com o Decreto Conciliar "Inter Mirifica" (1963, § 18). A Mensagem do Santo Padre para o Dia Mundial das Comunicações Sociais é publicada tradicionalmente em coincidência com a memória de S. Francisco de Sales, para permitir que as Conferências episcopais, os Escritórios diocesanos e as organizações que se ocupam de comunicação social tenham tempo suficiente para preparar subsídios audiovisuais e outros materiais destinados às celebrações a nível nacional e local. O tema do próximo Dia Mundial das Comunicações Sociais, em geral, é divulgado sempre no dia 29 de setembro, festa dos Arcanjos S. Miguel, S. Rafael e S. Gabriel, designado Padroeiro dos radialistas. 

Eis a Mensagem do Santo Padre Bento XVI para este 46º Dia Mundial das Comunicações Sociais
Silêncio e palavra: 
caminho de evangelização 

Amados irmãos e irmãs, 
Ao aproximar-se o Dia Mundial das Comunicações Sociais de 2012, desejo partilhar convosco algumas reflexões sobre um aspecto do processo humano da comunicação que, apesar de ser muito importante, às vezes fica esquecido, sendo hoje particularmente necessário lembrá-lo. Trata-se da relação entre silêncio e palavra: dois momentos da comunicação que se devem equilibrar, alternar e integrar entre si para se obter um diálogo autêntico e uma união profunda entre as pessoas. Quando palavra e silêncio se excluem mutuamente, a comunicação deteriora-se, porque provoca um certo aturdimento ou, no caso contrário, cria um clima de indiferença; quando, porém se integram reciprocamente, a comunicação ganha valor e significado. 
O silêncio é parte integrante da comunicação e, sem ele, não há palavras densas de conteúdo. No silêncio, escutamo-nos e conhecemo-nos melhor a nós mesmos, nasce e aprofunda-se o pensamento, compreendemos com maior clareza o que queremos dizer ou aquilo que ouvimos do outro, discernimos como exprimir-nos. Calando, permite-se à outra pessoa que fale e se exprima a si mesma, e permite-nos a nós não ficarmos presos, por falta da adequada confrontação, às nossas palavras e ideias. Deste modo abre-se um espaço de escuta recíproca e torna-se possível uma relação humana mais plena. É no silêncio, por exemplo, que se identificam os momentos mais autênticos da comunicação entre aqueles que se amam: o gesto, a expressão do rosto, o corpo enquanto sinais que manifestam a pessoa. No silêncio, falam a alegria, as preocupações, o sofrimento, que encontram, precisamente nele, uma forma particularmente intensa de expressão. Por isso, do silêncio, deriva uma comunicação ainda mais exigente, que faz apelo à sensibilidade e àquela capacidade de escuta que frequentemente revela a medida e a natureza dos laços. Quando as mensagens e a informação são abundantes, torna-se essencial o silêncio para discernir o que é importante daquilo que é inútil ou acessório. Uma reflexão profunda ajuda-nos a descobrir a relação existente entre acontecimentos que, à primeira vista, pareciam não ter ligação entre si, a avaliar e analisar as mensagens; e isto faz com que se possam compartilhar opiniões ponderadas e pertinentes, gerando um conhecimento comum autêntico. Por isso é necessário criar um ambiente propício, quase uma espécie de «ecossistema» capaz de equilibrar silêncio, palavra, imagens e sons. 
Grande parte da dinâmica actual da comunicação é feita por perguntas à procura de respostas. Os motores de pesquisa e as redes sociais são o ponto de partida da comunicação para muitas pessoas, que procuram conselhos, sugestões, informações, respostas. Nos nossos dias, a Rede vai-se tornando cada vez mais o lugar das perguntas e das respostas; mais, o homem de hoje vê-se, frequentemente, bombardeado por respostas a questões que nunca se pôs e a necessidades que não sente. O silêncio é precioso para favorecer o necessário discernimento entre os inúmeros estímulos e as muitas respostas que recebemos, justamente para identificar e focalizar as perguntas verdadeiramente importantes. Entretanto, neste mundo complexo e diversificado da comunicação, aflora a preocupação de muitos pelas questões últimas da existência humana: Quem sou eu? Que posso saber? Que devo fazer? Que posso esperar? É importante acolher as pessoas que se põem estas questões, criando a possibilidade de um diálogo profundo, feito não só de palavra e confrontação, mas também de convite à reflexão e ao silêncio, que às vezes pode ser mais eloquente do que uma resposta apressada, permitindo a quem se interroga descer até ao mais fundo de si mesmo e abrir-se para aquele caminho de resposta que Deus inscreveu no coração do homem. 

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Homenagens às Mães da Comunidade - 2012

No final da tarde desse 6º Domingo da Páscoa, 13 de maio, memória de Nossa Senhora de Fátima, nosso pároco, Pe. Vicente, celebrou uma Santa Missa, na oportunidade em que se rezou pelas mães, vivas e falecidas. Muitas mães estiveram presentes! A coordenação da comunidade preparou uma pequena lembrança que foi entregue às mães no início da celebração. Ao final da Missa uma jovem, representando o Grupo de Jovens "Guerreiros de Cristo" fez uma homenagem às mães presentes!
No final da tarde do último sábado, 12, os catequistas da comunidade preparam uma festinha para as mães das crianças e dos jovens crismandos da Catequese. O Catequista Hermerson Saulo, coordenador da Pastoral na comunidade, leu algumas mensagens às mães e agradeceu a presença de todas elas, embora se estivesse esperando mais mães! As catequistas Rosário, Carlota e Arlente deram seu testemunho do que é ser mãe e fizeram seus votos para um Feliz dia das Mães.
Confira imagens desse momento:

Hoje, 14, como já está acontecendo desde o dia 1º, as imagens de N. Sra. de Fátima sairão em peregrinação para mais duas famílias: Dona Dolores, na Rua A do Conj. Broder Ville e Dona Josenilda, na Rua Principal. Participe de nossa peregrinação com Nossa Senhora!

domingo, 13 de maio de 2012

5 anos da visita do Santo Padre ao Brasil

Há exatos 5 anos o Santo Padre Bento XVI fez sua 1ª Viagem Apostólica ao Brasil. Na ocasião,  inscreveu no Livro dos Santos, o frade brasileiro, Antônio de Sant'Anna Galvão - Frei Galvão, em 11 de maio/2007 e abriu a V Conferência Geral do episcopado da América latina e do Caribe (V CELAM), em 13 de maio/2007,  coincidentemente também VI Domingo da Páscoa, memória de N. Sra. de Fátima e Dia das Mães!
Releia as homilias/discursos do Santo Padre naquela Viagem, acessem-nas AQUI e AQUI.
Como o Papa Bento XVI, queremos ser uma Igreja discípula e missionária de Jesus Cristo, reze:
Senhor Jesus Cristo, Caminho, Verdade e Vida, rosto humano de Deus e rosto divino do homem, acendei em nossos corações o amor ao Pai que está no céu e a alegria de sermos cristãos.
Vinde ao nosso encontro e guiai os nossos passos para seguir-vos e amar-vos na comunhão da vossa Igreja, celebrando e vivendo o dom da Eucaristia, carregando a nossa cruz, e urgidos por vosso envio.
Dai-nos sempre o fogo de vosso Santo Espírito, que ilumine as nossas mentes e desperte entre nós o desejo de contemplar-vos, o amor aos irmãos, especialmente aos afligidos e o ardor por anunciar-vos no início deste século.
Discípulos e missionários vossos, nós queremos remar mar adentro, para que os nossos povos  tenham em Vós vida abundante, e construam com solidariedade a fraternidade e a paz.
Senhor Jesus, vinde e enviai-nos!
Maria, Mãe da Igreja, rogai por nós.
Amém. 
(PAPA BENTO XVI - Oração para a V CELAM)

Leia o Documento Conclusivo dessa V Conferência (13-31 de maio/2007), baixando-o em nossa coluna lateral esquerda - DOCUMENTO DE APARECIDA. Neste, encontramos as diretrizes para ação Evangelizadora da Igreja na América Latina e no Caribe!

Rezemos pela 2ª  Visita do Santo Padre a realizar-se em julho de 2013 por ocasião da Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro!

sábado, 12 de maio de 2012

Mensagem do Sr. Bispo Diocesano para o Dia das Mães-2012

Neste [domingo] vamos celebrar uma data especial que toca a todos nós. É o dia das mães. Todos nós temos uma veneração diante daquela que é ou foi a nossa querida mãe. Quanto exemplo de testemunho cristão, estão transmitindo as nossas queridas mães!
Penso tantas vezes comigo, quantas vezes uma mãe se levantou de noite para cuidar do bebê, especialmente quando estava adoentado! Quantas noites uma mãe passa em claro sem fechar o olho por causa da criança!
Enquanto a criança é pequena, mas também quando o filho ou a filha fica maior, a mãe espera de noite adentro que cheguem... Nunca vi uma mãe com um caderno anotando tudo que fez pela criança, pelo filho ou pela filha, para depois um dia cobrar algo deles! Pelo contrário, aí as nossas queridas mães são um exemplo de vida cristã, porque estão se doando a partir do amor. 
Vida cristã, seguimento de Jesus Cristo é sempre isso! É doação e serviço, é lava-pés, desinteressadamente. 
O quanto é importante que neste Dia das Mães vamos contemplar este exemplo das nossas queridas mães quando num mundo que nos cerca tudo gera e gira ao redor de valores materiais. Quanto vale? Quanto vou ganhar? Que proveito vou ter de tudo isso? Lamentavelmente esta é a grande pergunta que tantas vezes rodeia o nosso relacionamento e nossa convivência. Valorizamos as pessoas não a partir dos seus valores e do seu testemunho, mas a partir das vantagens e dos lucros que podemos usufruir da pessoa. 
Por isso precisamos olhar com um profundo respeito para as nossas queridas mães e reconhecer acima de tudo o testemunho do seguimento de Jesus Cristo. 
Neste mês de maio, a Igreja nos coloca de modo especial o exemplo de Maria que também foi mãe. Ela foi mãe que enfrentou o sofrimento pelo filho deste do nascimento quando experimentou na chegada em Belém: não havia lugar para eles na hospedaria. Fora da cidade num estábulo onde o gado se acobertou diante das tempestades, no meio dos mais simples e dos excluídos da sociedade, Maria encontrou uma acolhida. Foram os pastores que visitaram primeiro o recém-nascido e tornaram se os primeiros missionários partindo e anunciando que nasceu um menino que será a esperança do povo. 
[...] Maria estava de baixo da cruz quando os homens, os discípulos com a exceção de João correrem de medo. Foi aí que Jesus falou para o discípulo: “Eis a tua mãe e para a mãe, eis o teu filho”. Foi o próprio Jesus Cristo que quis que Maria fosse também a nossa mãe. Assim, Deus não quis ter apenas uma mãe como todos nós, mas nos entregou Maria como mãe de todos nós. Por isso nas nossas necessidades invocamos Maria sobre as mais diversos títulos, como nosso mãe. 
Dom Alfredo Sháffler
Passei dez dias em Aparecida [na 50ª Assembleia] da Conferência dos Bispos do Brasil e presenciei quantas pessoas estão chegando cada dia em Aparecida! Só num domingo se contou mais de dois mil ônibus com mais de 120.000 peregrinos! Ao longo do ano passado foram mais de dez milhões de pessoas que chegaram a Aparecida como peregrinos, à pé, a cavalo, de bicicleta, de motos e de ônibus e demais conduções... Todos fazendo a sua veneração diante de nossa padroeira [Nossa Senhora da Conceição Aparecida]!

Parabéns as nossas queridas mães. 
Firme na fé e fiquem com Deus. 

Dom Alfredo Scháffler
Bispo diocesano de Parnaíba-PI

sexta-feira, 11 de maio de 2012

5º Aniversário da Canonização do nosso padroeiro paroquial

Há exatos 5 anos, no Aeroporto militar Campo de Marte, em São Paulo, o Santo Padre, o papa Bento XVI, em sua 1ª Viagem Apostólica ao Brasil, elevou às honras dos altares, por meio da celebração de Canonização do até então beato Frei Antonio de Sant'Anna Galvão! Que grande graça para a Igreja do Brasil! 
No próximo dia 23 de maio e em todos os dias 23 de cada mês, às 19 h, participe da Santa Missa com distribuição das pílulas milagrosas de Frei Galvão, na Paróquia S. Antônio de Santana Galvão, no Conj. Joaz Souza, onde também poderá venerar uma relíquia do 1ª santo brasileiro depositada no altar!
Viva Jesus Cristo! Viva Frei Galvão!
Frei Galvão, primeiro santo nascido em nossa terra e nosso padroeiro paroquial, rogai por nós e, rogai também pelo bom êxito da 2ª viagem apostólica do papa ao Brasil no ano que vem quando presidirá, se Deus quiser, a Jornada Mundial da Juventude na Arquidiocese de S. Sebastião do Rio de Janeiro!

Mais informações sobre nosso padroeiro paroquial, clique AQUI.

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Paróquia Frei Galvão na Festa de N. Sra. de Fátima-2012

Na noite de hoje vários fiéis de nossa paróquia visitaram a Paróquia Nossa Senhora de Fátima, no bairro Nova Parnaíba, que está festejando sua padroeira! 
Nosso pároco, Pe. Vicente Gregório presidiu a Santa Missa dessa 10ª Noite do Trezenário em honra à Mãe de Deus e concelebraram a Eucaristia o pároco daquela paróquia, Pe. Carlos Seixas; o Reitor do Seminário Menor e Propedêutico João Paulo II e vigário da Catedral de N. Sra. da Graça, Pe. Eduardo Furtado; e, o vigário da Área Pastoral N. Sra. da Conceição (Caxingó-Caraúbas do Piauí), Pe. Marlos Borges.
Pe. Eduardo foi o pregador e, em sua homilia, enfatizou a disponibilidade de Maria em ouvir/servir ao Senhor.
Na celebração estavam a grande maioria dos seminaristas menores. Ajude financeiramente e espiritualmente a formar os futuros padres da Diocese de Parnaíba! Procure a Cúria Diocesana ou uma zeladora do Apostolado da Oração e participe da Campanha pela manutenção do Seminário colaborando com pelo menos R$ 2,00 (dois reais) mensais!
Mais informações sobre a Festa de Nossa Senhora de Fátima acesse o blog da Paróquia de Fátima, AQUI.
Nossa Senhora de Fátima, rogai por nós!

quarta-feira, 9 de maio de 2012

95 anos das aparições de Nossa Senhora em Portugal

No próximo domingo, 13 de maio, comemoram-se o 95º aniversário da primeira aparição de Nossa Senhora em Fátima-Portugal (13/V/1917). Tempos difíceis aqueles, mas Deus nos consola enviando-nos nossa Mãezinha do Céu!
“Convertei-vos!”, “Fazei penitência!” – são os principais pedidos de nossa Mãe! Os mesmos pedidos que fez seu Filho Jesus quando começou seu ministério (Mc 1,15)! 
Para mais informações sobre as aparições e os “segredos” de Fátima, leia no site da Santa Sé o Documento “Mensagem de Fátima” produzido pela Sagrada Congregação para a Doutrina Fé e promulgado pelo Santo Padre Beato João Paulo II, do ano 2000. 
Peçamos à Mãe que o Filho atente! Rezemos sempre o Rosário! Contemplemos os mistérios de Cristo com Maria! 
Participe dos festejos a N. Sra. de Fátima na Paróquia de Fátima, bairro Nova Parnaíba -  há Novenas e Missas a partir das 18h30 até o dia 12 e, no dia 13, participe com fé do “Dia com Maria”.
Em nossa paróquia, S. Antônio de Santana Galvão (Cj. Joaz Souza), haverá missa pelas mães ao meio-dia no dia 13 e em nossa comunidade também, às 17h30.


Venha louvar a Deus por nos ter dado a Mãe Maria e nossas Mamães terrenas!

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Comunidade Shalom festeja em Roma 30 anos de fundação

De 9 a 16 de maio, os membros da Comunidade Católica Shalom se reunirão em Roma para celebrar seus 30 anos de fundação e o reconhecimento obtido em 2007 pelo Pontifício Conselho para os Leigos como Associação Privada Internacional de Fiéis. 
O evento será inaugurado na quarta-feira de manhã na Basílica de S. João de Latrão com uma pregação do Fr. Raniero Cantalamessa ofm, pregador da Casa Pontifícia, e à tarde, com a solene celebração eucarística presidida na mesma Basílica pelo Card. Cláudio Hummes, Prefeito emérito da Congregação para o Clero. 
Entre as diversas iniciativas programadas, estão uma peregrinação a Assis no dia 10 de maio e, nos dias 12 e 13, um Congresso internacional, no decorrer do qual serão apresentados os Estatutos definitivos da Associação.
O Congresso será aberto com uma missa presidida pelo Presidente do Pontifício Conselho para os Leigos, Card. Stanislaw Rylko. A semana de celebrações se concluirá na quarta-feira, 16 de maio, quando os membros da Comunidade Shalom participarão da Audiência Geral do Santo Padre na Praça S. Pedro. 
Essa Associação nasceu no Brasil em 1982 por iniciativa de um grupo de jovens universitários guiados por Moysés Louro de Azevedo Filho e com o encorajamento do então Arcebispo de Fortaleza, Card. Aloísio Leo Arlindo Lorscheider. Hoje, conta mais de dois mil membros em mais de 10 países, entre América, África, Europa e Oriente Médio. 
Lê-se no site da Comunidade: "Servirmos a Igreja por meio de uma consagração de vida. Temos como fim último a evangelização e a formação de filhos de Deus. Somos chamados a ser, no interior da Igreja, discípulos e ministros da Paz; a acolher, viver e anunciar ao mundo a Paz que é o próprio Jesus (cf. Ef 2,14)".
No último dia 28 de abril, houve uma missa em comemoração dos 5 anos da missão da Comunidade Shalom, em Parnaíba. (Cf. Matéria)

sábado, 5 de maio de 2012

Reflexão para o V Domingo de Páscoa

Conversão de São Paulo (Atos 9)
Caravaggio
A liturgia deste domingo se refere ao crescimento da Igreja e, naturalmente, às tensões que se verificam em qualquer relacionamento humano. 
A primeira leitura, tirada dos Atos dos Apóstolos [At 9,26-31], se refere a Paulo [Saulo], a seu trabalho e à desconfiança que a Comunidade tinha em relação ao antigo perseguidor. A seu favor surge Barnabé que o apresenta aos Apóstolos e salienta suas qualidades de conhecedor da Sagrada Escritura e de ter dito sim ao chamado de Jesus no caminho de Damasco, de ter aderido totalmente ao Senhor e de se ter tornado o grande pregador do Evangelho.
Paulo vive plenamente o encontro com Jesus. Ele precisou e teve o apoio de um de seus companheiros na fé – Barnabé – e também da Comunidade. 
O trecho da 1ª Carta de João [1Jo 3,18-24], a segunda leitura na liturgia deste domingo, revela que Paulo estava totalmente imbuído do Espírito do Senhor, por isso suas ações eram frutos do amor que o Pai havia colocado nele. 
O Evangelho de João [Jo 15,1-8] nos fala da videira que é Jesus e do Agricultor que é o Pai. Jesus é a videira verdadeira porque só Ele produz os frutos desejados pelo Pai, ou seja, a justiça, a retidão e o amor. O Pai é o agricultor porque cuida de sua videira para que ela dê os bons frutos que Ele deseja. Nesse trabalho de cuidar da videira, o Pai a poda. Ele o faz para que ela dê frutos excelentes e abundantes. A poda é um reforço e não um desejo de ver a videira sofrer. Ela não é castigo, provação e sim graça. 
O texto evangélico nos fala em permanecer unido à videira. Ora, somos os ramos e permanecer unidos significa estar plenos de amor, unidos ao Amado. Será essa união que nos possibilitará dar frutos. 
O batismo nos inseriu no tronco. Por ele nos tornamos membros da videira, seus ramos. Em nós passou a correr a seiva da graça de Deus, a força do Espírito Santo, a Vida! 
Paulo passou de perseguidor a um dos ramos enxertados na videira que é o Corpo Místico de Cristo e que se deixou podar sempre que necessário. Ele se tornou um dos alicerces da Igreja, uma de suas grandes colunas. 
A graça recebida não foi em vão! 
Cada um tem sua vida, sua vocação, sua história. Vivamos a nossa, conscientes de que a graça nos é dada e de que o importante é nos abrirmos à ação de Deus, e não quem somos. 
Lembremo-nos de Paulo, o convertido e de Maria, a cheia de graça, ambos unidos à Videira Verdadeira, Jesus Cristo. 

Pe. César Augusto dos Santos 

Fonte: RÁDIO VATICANO.

terça-feira, 1 de maio de 2012

Festa de São José Operário

Hoje, 1º de maio, a Igreja celebra a Festa de São José Operário. A festa, instituída por Pio XII em 1955 para dar um sentido cristão ao Dia Internacional do Trabalho, ocorre em um momento de grave crise que vê, de acordo com os últimos dados, mais de 200 milhões de desempregados no mundo. Bento XVI, nos seus sete anos de pontificado, dedicou muitos de seus discursos à questão do trabalho. 
Papa Bento XVI
Para o Papa, nas políticas econômicas, “a prioridade deve ser dada aos trabalhadores e suas famílias”; de fato, “o primeiro capital a ser preservado e valorizado” é o próprio homem. Então - afirma – objetivo prioritário dos governos seja garantir o acesso ao trabalho e sua manutenção para todos. O seu pensamento se dirige aos desempregados e precários: 
“Queridos trabalhadores e trabalhadoras... a Igreja apoia, conforta, encoraja todos os esforços para assegurar a todos um trabalho seguro, digno e estável. O Papa está próximo a vocês, está ao lado de suas famílias, de seus filhos, de seus jovens, de seus anciãos e leva todos no coração diante de Deus”. (Discurso aos participantes da peregrinação da Diocese de Terni, 26 de março de 2011). 
Bento XVI denuncia as especulações e fala de um “mau uso” das finanças que “prejudicou a economia real”; destaca que nos últimos anos cresceu “uma classe cosmopolita de administradores, que muitas vezes respondem apenas às indicações dos acionistas”. Entre as causas da crise está o apego ao dinheiro: 
“A ganância humana é idolatria. Devemos denunciar esta idolatria que é contra o verdadeiro Deus e a falsificação da imagem de Deus com outro Deus, “mammona” (riqueza material). Devemos fazê-lo com coragem, mas também concretamente”. (Encontro com o clero de Roma, 26 de fevereiro de 2009). 
E o Papa fala contra a exploração dos trabalhadores, especialmente dos imigrantes, muitas vezes utilizados como “mercadoria”, pede que o trabalho, especialmente para as mulheres, seja harmonizado com a família, e que seja respeitado o descanso dominical, porque o homem não deve ser escravo do trabalho. A crise atual, no entanto, pode se tornar uma oportunidade para rever os modelos de desenvolvimento e os estilos de vida: 
“Talvez nunca como hoje a sociedade civil compreenda que somente com estilos de vida inspirados na sobriedade, na solidariedade e na responsabilidade, é possível construir uma sociedade mais justa e um futuro melhor para todos”. (Discurso aos administradores do Lácio, 12 de janeiro de 2009). 
O trabalho para o cristão torna-se também oração cotidiana, como fazia Jesus: o Filho de Deus - recorda o Papa – se dedicou “por muitos anos às atividades manuais, de modo a ser conhecido como o filho do carpinteiro”. E Bento XVI confia todos os trabalhadores ao seu padroeiro, São José, e indica o seu estilo: 
“Do exemplo de São José chega a todos nós um forte convite para desempenharmos com fidelidade, simplicidade e modéstia a tarefa que a Providência nos atribuiu”. (Angelus, 19 de março de 2006).

Abertura do Mês Mariano-2012 na comunidade

Na manhã de hoje os irmãos se reuniram na capela da comunidade para rezar o Ofício à Imaculada Conceição da Santíssima Virgem Maria (reze-o aqui!) e partilhar um delicioso café-comunitário, dando início assim a mais um "Mês com Maria". 
Após o café, a Coordenação e representantes de grupos fizeram uma pequena reunião para estudar o subsídio preparado pela Paróquia Santa Ana (desta cidade) para as peregrinações das imagens de Nossa Senhora às famílias. Nossa paróquia, Paróquia S. Antônio de Santana Galvão – Fr. Galvão, usará também esse material em todas as comunidades!
Neste mês, para a meditação do Santo Rosário, a intenção principal é pelos bons frutos da  Grande Semana Missionária (Santas Missões Populares) que acontecerá em nossa paróquia no período de 23 a 30 de setembro/2012. 
À noite deste dia 1º, duas imagens de Nossa Senhora de Fátima sairão de nossa capela às 19 horas e serão acolhidas nas residências de Dona Eunice, moradora da Rua-C (Conj. Broder Ville) e Dona Alcione, na Rua-A.
Clique e leia a mensagem!
Que Nossa Mãe Maria que estava junto com os Apóstolos no Cenáculo por ocasião da festa de Pentecostes (como sugere a capa do subsídio litúrgico), nos ajude a sermos fiéis discípulos missionários de seu Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo.

Um bom Mês Mariano e uma boa Missão aos irmãos da Diocese de Parnaíba!

Café-partilhado às 7 horas.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...